7 dicas do fundador do PayPal para inovar nos negócios

Endeavor Brasil

Para Peter Thiel, cofundador do PayPal e investidor em diversas startups de alta inovação, como o Facebook, o próximo Bill Gates não criará um sistema operacional. O próximo Larry Page ou Sergey Brin não desenvolverá um mecanismo de busca. E o próximo Mark Zuckerberg não criará uma rede social. Se você está copiando essas pessoas, não está aprendendo com elas. É mais fácil copiar um modelo que inovar e criar algo novo.

O progresso vem do de um conhecimento inovador, não da competição. Se você faz o que nunca foi feito e consegue fazer melhor do que qualquer um, tem uma espécie de monopólio — e qualquer negócio tem mais chances de ser bem-sucedido quando não pode ser copiado. Mas quanto mais você compete, mais se torna parecido com todo o resto. A competição destrói os lucros dos indivíduos, das empresas e da sociedade como um todo.

Em 2014, Peter lançou o livro De zero a um: O que aprender sobre empreendedorismo com o Vale do Silício. Ele não oferece fórmula para o sucesso. O paradoxo de ensinar empreendedorismo é que tal fórmula não pode existir. Como cada inovação é única, nenhuma autoridade consegue prescrever em termos concretos como inovar. Toda inovação vai de 0 a 1.

Confira as principais ideias abordadas por Peter Thiel no livro:

 1) Pense em quais empresas ou negócios ainda não foram criados. Empreendedores precisam pensar no diferente, naquilo que ainda não é oferecido no mercado. Competir é para fracassados. É preciso focar em inovar, ser único.

2) Para Thiel, ensinar empreendedorismo é um paradoxo, uma vez que tal fórmula não pode existir. Toda inovação vai de 0 a 1, na medida em que passa a ocupar uma fatia do mercado que antes era inexistente.

3) Existem apenas dois tipos de empresas no mundo: aquelas que estão em uma competição acirrada e aquelas que detêm algum conhecimento totalmente novo. As melhores empresas investem em deter o conhecimento do que ela criou.

4) Empresas e pessoas diferenciadas serão mais importantes na definição do futuro do que aquilo que está na moda ou é segmentado. Mas não é preciso ter medo de estar em um setor badalado, apenas certifique-se de estar criando/produzindo algo único. As melhores oportunidades estão nos problemas sem solução. Aprenda a fazer as perguntas certas para descobri-las.

5) É preciso ter uma tecnologia que seja a melhor. Só assim a empresa ganha tempo e evita que alguém a copie. Quando se começa uma empresa, é preciso começar pequeno e mirar um mercado pequeno, mas tendo espaço para sonhar grande e crescer.

6) A maneira como a equipe trabalha é muito importante. Uma startup de sucesso é sempre resultado de uma combinação de três elementos essenciais: pessoas certas, boa tecnologia e um plano de negócios. Uma empresa bem-sucedida não é resultado de um voo solo.

7) A empresa nunca deve ser burocrática. Ela precisa ser dinâmica. Os papeis precisam ser bem definidos, mas podem ser redefinidos.

Sobre Peter Thiel

Peter Thiel é cofundador do Paypal e da Palantir Technologies, uma empresa de software especializada em análise de dados. Investiu em centenas de startups, incluindo o Facebook. É sócio da Founders Fund, empresa de capital de risco que financiou startups como SpaceX e Airbnb. Fundou a Thiel Fellowship, cujo objetivo é estimular jovens a colocar o aprendizado acima da escolaridade. No Brasil, investiu na Oppa, loja de móveis.

Post publicado no Portal Administradores por Endeavor Brasil.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

Sucesso

O que seria pior que o fracasso? O falso sucesso. Por quê?

Analisemos primeiramente o fracasso. Quando você faz algo que acaba não dando certo, você pode tentar corrigir a situação. Caso não seja possível, pode levar como aprendizado. Numa próxima vez você se sairá melhor. Afinal, uma forma de aprendermos é errando.

Já o falso sucesso é diferente. É uma ilusão, pois parece que você está se saindo bem, mas, na verdade, está se prejudicando. Quando você finalmente perceber que precisa fazer mudanças, poderá ser tarde demais.

Veja um exemplo. A despeito de todas as controvérsias envolvendo este personagem histórico, é inegável reconhecê-lo como líder e o maior homem que já viveu. Falo de Jesus Cristo. Ele certa vez perguntou: “Que adianta uma pessoa ganhar o mundo inteiro e perder a sua própria vida?” (Mateus 16:26, Bíblia Fácil de Ler)

Essa pergunta contém um alerta, bem como a revelação de uma atitude típica do falso sucesso. Deixar que a vida gire em torno da busca de dinheiro e de bens materiais. O consultor de carreiras Tom Denham escreveu: “Pensar sempre em subir de cargo na empresa, em ganhar mais dinheiro ou em comprar mais coisas não nutre a alma. Medir o sucesso simplesmente em termos financeiros é superficial e, a longo prazo, você só vai sentir um grande vazio.”

Muitas pessoas concordam com essas palavras. Numa pesquisa realizada nos Estados Unidos, “ter muito dinheiro” ficou em 20.° lugar numa lista de 22 “fatores que contribuem para uma vida bem-sucedida”. Perto do topo da lista estavam “boa saúde”, “bons relacionamentos” e “um trabalho de que você gosta muito”.

Pelo visto, muitas pessoas sabem a diferença entre falso sucesso e verdadeiro sucesso — pelo menos na teoria. Mas, na prática, é mais difícil tomar decisões que reflitam o conceito correto de sucesso.

Resta a pergunta (e claro, a reflexão sincera): “Como você mede o sucesso?”

Há que se considerar que o falso sucesso se baseia em aparências. Já o verdadeiro sucesso se baseia nos valores corretos.

Levando isso em conta, se você procurar ser responsável e trabalhador, você vai gostar mais de seu trabalho. A Ph.D. em psicologia Madeline Levine escreveu: “Considerar-se bem-sucedido no que faz envolve ser bom nisso; e ser bom no que faz geralmente envolve esforço e persistência.”

Algo que ajuda nisso é o desenvolvimento de uma competência fundamental, a resiliência. Dentre as muitas definições de resiliência, a mais aceitável é que ela é capacidade de lidar de forma positiva com as dificuldades e dar a volta por cima. Esforce-se em ser bom no que faz e, quando surgirem obstáculos, não desista.

“Melhor está o cão vivo do que o leão morto”, diz um provérbio bíblico. Seu trabalho deve fazer parte de sua vida, em vez de ser sua vida. Imagine só, você está no topo de sua carreira, mas perdeu sua saúde ou o respeito de sua família. Ou até mesmo a família! Você poderia realmente se considerar bem-sucedido? Pessoas realmente bem-sucedidas procuram manter um bom equilíbrio entre trabalho, saúde e vida familiar.

Cuide-se. Descanse o suficiente. Não vale a pena ser um viciado em trabalho e sacrificar tudo — saúde, família e amigos — por um sucesso que acaba sendo falso.

Post publicado no Portal Administradores por Eduardo Nunes.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Onde está o seu legado?

Pesquisas apontam que vivemos em média 80 anos. Um período curto comparado com o decorrer dos tempos, no qual temos a oportunidade de deixar a nossa marca, um legado para as novas gerações. Suponha que você tenha chego aos 100 anos de vida e está prestes a soprar as velinhas em comemoração com a família. De um lado a esposa, os filhos e netos. De outro alguns amigos e conhecidos. Você sabe que dali não viverá mais 10, 20 30 anos provavelmente. E naquele momento você pensa no que plantou, no que preparou, no que estará deixando de bom e de como será lembrado quando partir.

Pare por um minuto e tente identificar o legado deixado pelos seus ascendentes. Eles poderiam ter feito algo a mais? E nós, podemos fazer algo a mais pelas nossas gerações? Uma das coisas mais importantes da vida é o que deixaremos de bom aos nossos descendentes. Há alguns anos venho preocupando-me com o legado que deixarei quando eu tiver que partir. Questiono-me: O que eu posso fazer de útil para a humanidade? O que pode ser feito por de mim para que permaneça para o bem das novas gerações? Aquilo em que acredito, ou o que eu acho que sou permanecerá quando eu se for para o descanso eterno? Minhas sementes plantadas serão úteis às novas gerações? Meus filhos, netos, bisnetos e tataranetos se lembrarão de mim como um bom homem que deixou a sua marca, ou colocarão meu nome no rol do esquecimento?

Nós vivemos em prol de uma marca, quer seja positiva ou negativa. Nossas decisões escolherão o legado que iremos deixar. Nosso legado precisa transmitir dignidade e honra ao nosso povo, sem isso, não pode ser considerado um legado. O professor Mário Sérgio Cortela, homem que tanto admiro pela sua maestria e inteligência, certa vez disse: “Qual é a sua verdade? Qual a sua essência? No dia em que você se for, essas questões irão embora com você. O que permanecerá de você no mundo? Permanecerá o seu legado. Permanecerá aquilo que você ensinou, aquilo que “ensignou”, as marcas que deixou”.
Luisinho Soares, meu amigo músico e escritor, teve uma origem pobre no sertão nordestino. Em seu livro: O Nordestino Vencedor, ele relata a trajetória trilhada entre a miséria e a conquista. Seus pais não tiveram condições de dar-lhes, a ele e a seus irmãos, um conforto material, mas plantaram-lhes as sementes de caráter, persistência e coragem que brotariam anos mais tarde. Persistente e sonhador, Luisinho resolveu que queria ser doutor. No mar da vida, quando o vento soprava contrário e as tempestades eram muito fortes, mais ele persistia e rumava pelo caminho de seu legado.

Certa vez, enquanto ainda estava na faculdade, Luisinho se aproxima da professora e diz: “A senhora é muito inteligente.” Ao que ela retruca: “Inteligente é você Luisinho, quem cria. Eu não crio nada, somente repito; estudo e repasso para vocês alunos. Ao contrário, você cria, compõe lindas canções, escreve belas letras. Você cria e eu apenas repasso o já criado”.

Homens como o médico periodista, músico e escritor Luisinho Soares, o filósofo e professor Mário Sérgio Cortela, e milhares de pessoas que passaram e estão passando por esse mundo deixando a sua contribuição, o seu legado, precisam ser valorizados. Homens que nos ensinam na prática, com suas ações, que legado se ganha, mas legado também se constrói.

Aprendemos, com exemplos dos que deixam suas marcas, que legado não se limita a um produto materializado em que passamos de gerações em gerações. Que legado é a precedência positiva; a força motriz em que levará nossos descendentes a usufruir de um mundo mais humano, mais forte e mais capaz. O que vai contra isso não é legado, pois o que não beneficia não se pode ser considerado um legado.

Quando buscarem um norte, seremos a bússola. Quando sentirem-se presos, seremos a canção da liberdade. Que cresça em nosso peito o desejo de sermos feitores de um futuro promissor. Que possamos almejar a construção de um legado palpável.

Post publicado no Portal Administradores por Jackson da Mata.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Seja um criador de oportunidades

A todo momento estamos sendo desafiados a fazer mais e melhor, sermos perfeitos e sem chance a erro, mas para que criar as oportunidades em primeiro lugar necessitamos de ATITUDES para mudar, além disso abaixo algumas dicas para não perder boas oportunidades:

1) Não tenha medo de tentar – O grande problema que normalmente acontece é o medo de sair da zona de conforto, as vezes as pessoas não criam as oportunidades por não acreditarem em seu potencial, no produto ou serviço. Tudo é motivo para não tentar, o governo, a crise, a instabilidade econômica, ou seja, todas as desculpas possíveis para se manter no mesmo lugar.

2) Esteja preparado – Antes de estar preparado é ter a certeza do que realmente você quer. Já descobriu suas melhores habilidades? Caso a resposta seja afirmativa, siga o seu caminho. O que você aprendeu diferente de sua rotina no último ano, nos últimos dois ou três anos? Por acaso você não está parado no tempo esperando pelas oportunidades sem estar preparado. Já fez sua graduação, MBA ou Especialização? Curso de língua estrangeira ou de informática? Se a oportunidade que você tanto espera aparecer hoje, você estaria pronto?

3) Problema da achologia – Esse é um grande mal que enfrentamos no dia a dia, pois achar sem ter certeza é pior que não tentar. Além disso sempre tem mais gente “esperta” que irá dizer… “isso não é para você”, “já tentaram fazer isso e nunca deu certo”. Afaste-se dessas pessoas negativas, pois o que você vai conseguir com elas são as mesmas coisas que você tem hoje.

4) Rede de relacionamentos – Foi comprovado cientificamente que mais de 50% dos negócios mundiais são feitos com amigos, ou conhecidos de amigos. Então seu networking será fundamental para o sucesso de seu negócio. Portanto, amplie sua rede de contatos, faça novas amizades e crie vínculos sociais para trocar informações.

5) Correr riscos calculados – Para criar novas oportunidades será necessário correr alguns riscos, desde que sejam calculados, claro. Mas uma coisa que aprendi nessa vida é que “algumas portas abrem somente à medida que andamos”, ou seja, precisamos sair da zona de conforto e ir para zona de expansão para ver o que o futuro nos reserva.

Já pensou quantas oportunidades você já deixou ou está deixando passar na sua vida por falta de tomar uma atitude? Descubra seu talento e siga o seu caminho, tenha a certeza que todos nós temos talentos escondidos e que ainda não foram lapidados. Encontre o seu e vai viver uma vida muito mais feliz. E se a oportunidade não aparecer, crie ela, seja inovador e não tenha medo de errar.

“Cada um de nós é melhor do que alguém em alguma coisa!”
Kare Anderson

Post publicado no Portal Administradores por Leonardo Siqueira.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

As dificuldades, na verdade, são grandes oportunidades

Que o ano de 2015 está repleto de desafios, isso não é nenhuma novidade. Existe um iminente risco de racionamento de água e energia elétrica, assim como a crise econômica que o país atravessa devido o baixo crescimento, escândalos de corrupção no governo e os seus impactos diretos como a falta de confiança dos investidores e empreendedores no país, aumento da taxa de juros e consecutivamente os níveis de desemprego também aumentam, alta da inflação, entre outros fatores são alguns desses desafios.

Um grande sentimento de preocupação e receio com o futuro que está por vir devido essas dificuldades tem estimulado organizações, famílias e indivíduos a refletirem como se adequar e se preparar para enfrentar esse período.

Diante das dificuldades, existem dois comportamentos muito comuns de se observar: a desistência e a busca por culpados depositando no outro a responsabilidade pelos insucessos, ou a prática da auto – motivação para assumir a responsabilidade pela vida e os objetivos para enfrentar os desafios procurando alternativas através da inovação que resultará no alcance de novos níveis de realizações.

Uma mesma situação pode ser vista por dois ângulos, o que diferenciará é a maneira pela qual os indivíduos a enxergam. Quando a forma de se enxergar o problema é positiva, os esforços são direcionados para as soluções e dessa forma surgem as melhorias e as oportunidades de aprendizado.

Que tal participar de 12 workshops online por ano?
Torne-se um Administrador Premium

Diversos são os exemplos de grandes realizações que somente foram possíveis através de um desafio ou uma dificuldade. David Hall McConnell, era um jovem vendedor de livros de porta em porta em pleno coração de Manhattan, em Nova York. Para que as pessoas aceitassem ao menos ouvir suas apresentações, afinal ele não era muito bem recebido nas casas onde tocava a campainha, ele teve uma ideia brilhante que mudaria sua vida. Ele começou a oferecer um frasco de perfume como brinde para seus clientes que aceitassem ouvir sua apresentação. As fragrâncias fizeram tanto sucesso que ele percebeu que seria melhor mudar de ramo e nasceria assim a Avon.

Trazendo para a nossa realidade, podemos observar também aprendizados que podemos extrair de dificuldades diárias, como por exemplo, a crise hídrica nos estados do sudeste. Certamente com os impactos que a população vem sofrendo devido à falta de água, fez com que muitos hábitos fossem alterados, dentre eles o tempo que se gasta para tomar banho ou até mesmo escovar os dentes com a torneira aberta. Muitos já mudaram esse hábito, mesmo assim não deixaram de suprir essas necessidades, ou seja, acabou sendo uma oportunidade para que mais pessoas se tornassem conscientes quanto ao consumo e a importância da preservação da água, ou seja, no futuro quando esta situação estiver amenizada, certamente perceberemos mudanças que perdurarão na cultura dessas populações.

Devemos acreditar que muitas vezes as dificuldades e situações negativas podem ser transformadas e extraídas o melhor, tudo depende da maneira de enxergar as oportunidades do modo correto.

“Quando tiraram o chão dele, descobriu que podia voar.”

Post publicado no Portal Administradores por Marcos Lima.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Aprenda apreciar a zona de desconforto

iStock

Existe uma tendência natural de nos acostumarmos com as situações cotidianas, costumes esses que se tornam hábitos e que acabam criando a tão conhecida zona de conforto, que pode ser entendida como uma série de comportamentos que adotamos por costume, algo que fazemos com frequência e tornamos uma rotina que nos traga conforto e segurança.

Um trecho do livro de Marina Colasanti, “Eu sei, mas não devia”, demonstra essa característica de nos acostumarmos com as situações e os impactos que isso nos traz:

“A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão”.

Convido você a fazer uma reflexão rápida nesse momento: Pense em sua vida quais áreas, circunstâncias ou aspectos que você esteja seguro ou confortável. Seja na saúde, nos estudos, na qualificação profissional, nos relacionamentos familiares, entre outros… Pensou?

Agora pense nessas situações, quais ou quantas dessas atividades ou ocasiões ultimamente têm gerado aquele “friozinho na barriga” antes de fazê-la, aquela dúvida e ansiedade ou até mesmo uma sensação de desconforto. Caso essas reações tenham sido pouco frequentes, provavelmente você esteja na zona de conforto em alguma dessas aéreas e pode estar deixando passar a oportunidade de melhorar ou viver algo antes nunca vivido.

Diante disso, devemos procurar com mais frequência nos aventurar na “zona do desconforto”, lugar no qual não estamos habituados, local esse que nos trará o novo, as possibilidades de melhorar o que até então pode até estar bom, mas poderia ser melhor.

Outra razão pela qual devemos buscar sair da zona de conforto, é de que de alguma maneira, seremos obrigados a sair um dia, por mais que resistamos, pois com as demandas de nossas vidas aumentando a melhoria contínua se tornou algo necessário para a sobrevivência.

Para mudar esse cenário, pequenas “doses” diárias de desafios, fazem uma grande diferença no longo prazo. Seja flexível, identifique seus limites e a partir do momento que os aceitar, veja o que pode fazer para ampliá-los, pois isso pode contribuir muito para o seu sucesso pessoal, depende somente de você!

“De vez em quando é preciso subir num galho perigoso, porque é lá que estão as frutas”. Will Rogers

Post publicado no Portal Administradores por Marcos Lima.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

19 coisas que pessoas negativas sempre fazem

Thinkstock

Ninguém está sempre feliz e todos têm dias ruins. Mas, às vezes, a extrema negatividade pode ser evitada e, assim, melhorar seu humor. Em recente artigo para o Business Insider, Hillary White comenta sobre as atitudes que as pessoas infelizes costumam ter e que deveriam abolir imediatamente. “Se você trabalha usando pensamento positivo sobre si mesmo e os outros ao seu redor, vai conseguir ser alguém feliz”, diz ela.

Confira uma lista de 19 coisas negativas que você deveria parar de fazer:

1 – Preocupar-se com coisas que não podem ser mudadas

“Pessoas negativas têm tendência a pensar no que poderia ter acontecido na vida, mas é importante não se preocupar com coisas que não podemos mudar. Deveríamos aprender com nossos erros e tentar fazer melhor na próxima vez. Podemos até ficar felizes por termos cometido alguns erros”, diz Hillary.

2 – Desistir quando algo fica difícil

Pessoas negativas e infelizes sempre vão desistir no meio do caminho ao encontrarem um desafio. É fácil pular fora quando algo parece perdido, mas perseverar através das dificuldades quase sempre trará bons resultados. “Desistir vai fazer você se sentir derrotado. Não importa como acabe, enfrentar as dificuldades aumenta a confiança”, explica Hillary.

3 – Levar-se a sério demais

Ter a capacidade de relaxar e rir de si mesmo e do absurdo que pode ser a vida vai transformar o modo de olhar as coisas ao seu redor.

4 – Não se exercitar

Exercitar-se tem inúmeros benefícios mentais e físicos. Quanto mais exercícios você faz, melhor você vai se sentir consigo mesmo e provavelmente irá fazer você seguir um estilo de vida mais saudável. Levar uma vida sedentária trará efeitos negativos para o humor, saúde e felicidade.

5 – Focar-se em objetivos impossíveis

“Ter objetivos é importante, afinal, é a única forma de fazer algo. Porém, pode ser um problema quando os objetivos que damos a nós mesmo são impossíveis de serem realizados. Apesar de acharmos que tentar alcançar as estrelas é bom, pessoas que sempre buscam metas inalcançáveis sempre se sentirão desapontadas. A chave é montar diversos e pequenos objetivos para si mesmo, o que vai fazer você se sentir realizado ao alcançá-los e ultrapassá-los”, diz Hillary.

6 – Alimentar-se de comidas que não são saudáveis

Todos têm prazeres que trazem culpa e sempre faz bem sair vez ou outra do regime. Porém, pessoas infelizes deixam essas saídas virarem a regra. Comidas saudáveis melhoram o humor, dão mais energia e são benéficas para a saúde.

7 – Não dormir o suficiente

Dormir é essencial. O quanto você dorme está diretamente ligado à sua produtividade e felicidade no dia seguinte. “Você pode achar que aquela hora extra é uma boa ideia, mas uma boa noite de sono deve ser prioridade”, diz Hillary.

8 – Focar-se apenas em suas fraquezas

“Todos nós temos inseguranças”, afirma Hillary. A chave está em focar no que temos de bom e não nos defeitos. “Auto-aperfeiçoamento é importante, mas pessoas negativas focam demais nas suas fraquezas em vez de se preocuparem em ter uma imagem positiva. Reconhecer as fraquezas é diferente de deixar elas tomarem conta das nossas atitudes”, completa.

9 – Passar tempo demais nas redes sociais

“Esse é um dos maiores problemas! Hoje em dia as pessoas deixam toda sua vida online. Primeiro, isso nos faz passar tempo demais nos comparando aos outros. É uma boa ideia passar um tempo longe da tela do computador e ter novas perspectivas de atividades para o dia. Pessoas negativas se preocupam demais com a forma como elas aparecem na internet para as outras pessoas, o que trará um efeito negativo para como elas mesmas se enxergam”, comenta Hillary.

10 – Ficar em sua zona de conforto

É fácil querer ficar na zona de conforto, onde é mais seguro e não existem riscos. Mas passar tempo demais nessa zona faz com que grandes coisas não aconteçam. Tédio é um grande fator para a infelicidade, o que pode ser facilmente combatido com novas experiências. Não precisa largar tudo e ir saltar de paraquedas, mas só a ideia de provar uma nova comida, ou escutar uma música de uma banda que você não gosta já pode trazer um pouco do novo.

11 – Preocupar-se com o que outras pessoas pensam

“Pessoas negativas ligam demais para a opinião dos outros. No fim das contas, nada pode ser feito para agradar a todos, então faça apenas o que faz você feliz”, explica Hillary.

12 – Fofocar e sempre falar mal dos outros

De acordo com Hillary, se você não tem algo bom a dizer, simplesmente não diga. Pessoas negativas tentam trazer outras pessoas para baixo para que se sintam melhores e isso nunca funciona.

13 – Trabalhar em excesso

“Todos merecem um dia de descanso. Pessoas que trabalham demais geralmente negligenciam suas necessidades, e às vezes tudo o que precisamos para nos sentirmos melhores é um dia de folga”, diz Hillary.

14 – Isolar-se

Apesar de parecer mais fácil apenas se isolar das pessoas nos momentos difíceis, passar tempo com os amigos e a família é a melhor maneira de revigorar as energias.

15 – Nunca sair da rotina

Pessoas felizes sabem que é importante tirar férias, usar uma roupa diferente, tirar um dia só para relaxar. Atitudes negativas em excesso fazem você esquecer que tomar conta de si mesmo é tão importante quanto tomar conta dos outros.

16 – Acomodar-se

“Pessoas negativas ficam felizes em se acomodar”, comenta Hillary. “Seja um relacionamento que não as faz felizes ou um trabalho, manter-se assim nos faz pensar que nossas vidas estão estagnadas”, diz.

17 – Recusar-se a perdoar

Pessoas negativas tendem a ser vingativas e guardar mágoas, mas a liberdade e a paz que perdoar vai trazer é um benefício bem maior que qualquer tristeza que alguém possa fazer você sentir.

18 – Evitar planejamento e organização

“Desorganização pode confundir nossas vidas. Mesmo que seja algo simples, como limpar um quarto, restaurar a ordem pode ajudar a ganhar um senso de controle sobre as coisas. Pessoas negativas e que evitam organização e planejamento estão menos preparadas para as reviravoltas da vida”, diz Hillary.

19 – Focar apenas em si mesmo

Enquanto se preocupar com você é essencial, pessoas infelizes e negativas pensam apenas em si mesmas a todo o tempo. Tratar os outros mal ou sempre focar em si mesmo ou seus próprios problemas pode ser prejudicial para o bem-estar e felicidade.

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!