Seja um criador de oportunidades

A todo momento estamos sendo desafiados a fazer mais e melhor, sermos perfeitos e sem chance a erro, mas para que criar as oportunidades em primeiro lugar necessitamos de ATITUDES para mudar, além disso abaixo algumas dicas para não perder boas oportunidades:

1) Não tenha medo de tentar – O grande problema que normalmente acontece é o medo de sair da zona de conforto, as vezes as pessoas não criam as oportunidades por não acreditarem em seu potencial, no produto ou serviço. Tudo é motivo para não tentar, o governo, a crise, a instabilidade econômica, ou seja, todas as desculpas possíveis para se manter no mesmo lugar.

2) Esteja preparado – Antes de estar preparado é ter a certeza do que realmente você quer. Já descobriu suas melhores habilidades? Caso a resposta seja afirmativa, siga o seu caminho. O que você aprendeu diferente de sua rotina no último ano, nos últimos dois ou três anos? Por acaso você não está parado no tempo esperando pelas oportunidades sem estar preparado. Já fez sua graduação, MBA ou Especialização? Curso de língua estrangeira ou de informática? Se a oportunidade que você tanto espera aparecer hoje, você estaria pronto?

3) Problema da achologia – Esse é um grande mal que enfrentamos no dia a dia, pois achar sem ter certeza é pior que não tentar. Além disso sempre tem mais gente “esperta” que irá dizer… “isso não é para você”, “já tentaram fazer isso e nunca deu certo”. Afaste-se dessas pessoas negativas, pois o que você vai conseguir com elas são as mesmas coisas que você tem hoje.

4) Rede de relacionamentos – Foi comprovado cientificamente que mais de 50% dos negócios mundiais são feitos com amigos, ou conhecidos de amigos. Então seu networking será fundamental para o sucesso de seu negócio. Portanto, amplie sua rede de contatos, faça novas amizades e crie vínculos sociais para trocar informações.

5) Correr riscos calculados – Para criar novas oportunidades será necessário correr alguns riscos, desde que sejam calculados, claro. Mas uma coisa que aprendi nessa vida é que “algumas portas abrem somente à medida que andamos”, ou seja, precisamos sair da zona de conforto e ir para zona de expansão para ver o que o futuro nos reserva.

Já pensou quantas oportunidades você já deixou ou está deixando passar na sua vida por falta de tomar uma atitude? Descubra seu talento e siga o seu caminho, tenha a certeza que todos nós temos talentos escondidos e que ainda não foram lapidados. Encontre o seu e vai viver uma vida muito mais feliz. E se a oportunidade não aparecer, crie ela, seja inovador e não tenha medo de errar.

“Cada um de nós é melhor do que alguém em alguma coisa!”
Kare Anderson

Post publicado no Portal Administradores por Leonardo Siqueira.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

5 formas de ganhar dinheiro enquanto sua empresa não gera receita

computador; produtividade (Foto: ThinkStock)Empreendedores dominam várias áreas do conhecimento. Por que não usá-las como um freelancer? (Foto: ThinkStock)

Ao abrir um negócio, um empreendedor tem no lucro um dos principais objetivos, no mínimo. No entanto, em muitos casos, gerar receita é uma meta que só é cumprida no longo prazo. Por isso, recomenda-se que a pessoa tenha algum dinheiro guardado e que esteja disposto a usá-lo enquanto a companhia não engrena. Só que pode acontecer de essas economias – conhecidas no jargão do empreendedorismo como capital de giro – não durarem muito. Ou nem existirem, se o sujeito em questão for afobado demais.

Quando não há dinheiro, você tem duas alternativas: fechar o negócio ou arranjar um jeito de conseguir recursos para a empresa continuar funcionando. Se a segunda opção for a escolhida, deve-se pensar em como captar essa grana. A empreendedora americana Darrah Brustein listou, em artigo no site da revista “Entrepreneur”, alguns caminhos para quem precisa “se virar”:

1. Volte para o mercado de trabalho
Um dos motivos que leva as pessoas à criação de um negócio é a saída de um emprego, seja porque houve uma demissão, porque o chefe era um “sem noção” ou por outra razão. Mas sejamos francos: um trabalho remunerado é a maneira mais garantida de obter uma graninha, mesmo que pouca. Aos que têm medo de voltar ao mercado de trabalho e tirar o foco da empresa, vale dizer que é possível conciliar as duas atividades. Basta ter disciplina.

2. Seja um freelancer
Empreendedores normalmente dominam uma área do conhecimento. Ou várias, já que a gestão de uma empresa exige uma série de habilidades. Que tal ganhar um dinheiro com o que você sabe fazer? Procure amigos (e amigos de amigos) e ofereça seus serviços.

3. Alugue sua casa
Você tem uma viagem a fazer ou pode morar com seu cônjuge por um tempo? Se sim, que tal colocar sua casa à disposição, pelo AirBnb, para aluguel? Outra alternativa é alugar um quarto que esteja sobrando. A EasyQuarto é uma empresa especializada nesse tipo de transação.

4. Use seu carro
Essa é para quem tem carro. Você pode trabalhar como motorista particular com o Uber; já outros aplicativos, como o Fleety, permitem que você alugue seu automóvel quando você não o estiver usando.

5. Seja um vendedor
Você ainda pode ganhar dinheiro vendendo coisas pela internet. Em plataformas como o MercadoLivre e o eBay, você não precisa nem criar uma loja virtual – é só cadastrar seus produtos.

Post publicado no Pequenas Empresas & Grandes Negócios pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Geração de Valor

Quando você apresenta sua ideia, dão risadas.

No dia em que você resolve implementar, criticam.

Depois de seu sucesso se perguntam: “mas como?”

Em seguida, tentam imitar.

Quando fracassam, dizem que você teve sorte.

Alguns vão te admirar. Outros vão se corroer de inveja.

Uma parte, vai querer aprender com você, outra parte, vai dizer que você é burguês.

Depois de chegar ao topo, você vai chegar a algumas conclusões:

1. Vale a pena não seguir a boiada;

2. A sociedade é hipócrita;

3. Os que te chamam de burguês são invejosos e gostariam de estar no seu lugar;

4. Só vale a pena ajudar quem quer ser ajudado;

5. Uma única pessoa que corresponde compensa todas as outras que foram ingratas.

6. Compartilhar vale a pena.

7. Nenhum sucesso justificará o fracasso de sua família. Não é necessário escolher. Dê conta dos dois.

8. Dinheiro é muito bom, mas é menos do que as pessoas imaginam.

9. A simplicidade compensa.

10. Não vale a pena viver em função do que as pessoas pensam sobre você.

11. Se possível, evitar a fama.

12. Simplificar a vida compensa.

13. Se tem um dinheiro que vale a pena gastar é com viagens com a família.

14. Falando em gastar, sempre menos do que se ganha. Colocar o dinheiro no seu devido lugar. Ele deve trabalhar pra você e jamais o contrário.

BOA SEMANA A TODOS

Post publicado no Geração de Valor por Flávio Augusto da Silva.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Que país é este? Até onde vai a maldade?

Uma amiga, aproveitando o carnaval, resolveu fazer uma viagem. Seria uma oportunidade de descansar, longe da folia e ao mesmo tempo poder conhecer novos lugares. Ela viajava em companhia de uma amiga, dirigindo em uma rodovia movimentada, quando ainda não se sabe porque, sofreu um grave acidente. Para quem aguarda o socorro, segundos e minutos parecem eternos. E foi justamente nesta eternidade que um casal ao presenciar o ocorrido, resolveu parar para ajudar e prestar os primeiros socorros. Viram então várias pessoas vindo também em direção ao carro.

Eram moradores da região. Afinal, então, há pessoas boas em todos lugares, certo? Não. Enquanto o casal de fato ajudava, as demais pessoas saqueavam o carro e roubavam tudo que estava ao alcance deles, inclusive objetos pessoais e documentos das vítimas, que acabaram espalhados no asfalto. O socorro, não demorou a chegar, mas a maldade se fez presente antes dele. Há pouco tempo, um vídeo que circulou bastante na Internet, mostrava um acidente envolvendo um caminhão. A vítima estava no asfalto, abandonada à própria sorte, enquanto o veículo era saqueado. Que país é este?

Antes que venham os especialistas em alguma coisa, de plantão, para tentar justificar o injustificável, com teorias que vão do estado de necessidade à desigualdade social, gostaria de completar dizendo que nada do que foi roubado, era para alimentar quem estava morrendo de fome e nenhuma desigualdade justifica o desprezo pela vida humana. Há sim, a certeza da impunidade. A banalização da violência e a “despersonificação” do ser humano. É querer tratar o semelhante como se não fosse ninguém ou nada.

Mata-se por tão pouco e as imagens parecem não incomodar mais. Tampouco, é um fenômeno restrito a uma determinada classe social. A Internet está igualmente repleta de vídeos que mostram pacientes morrendo na frente de hospitais e diante do pouco caso de médicos e outros profissionais de saúde. O juramento que fazemos ao concluirmos o curso de Medicina é o de Hipócrates, mas ao que parece, substituído por alguns, pelo juramento de hipócrita. Alguém se apresenta para dar uma justificativa? Melhor nem tentar. Porque não existe.

A imprensa também noticiou máfias de médicos envolvidos com comercialização de próteses. Pessoas sendo submetidas a procedimentos desnecessários e com uso de materiais vencidos, tão somente para enriquecer pessoas que jamais poderiam ser chamadas de profissionais da saúde…mas sim, da vergonha e da estupidez.

Não estamos falando de omissão de socorro. Mas de homicídio ou de tentativa de homicídio. Se alguém com conhecimento capaz de ajudar uma pessoa em situação crítica, deixa de fazê-lo, sabendo que com sua atitude, a vítima poderá morrer, não está apenas omitindo socorro, mas condenando a morte, quem deveria proteger ou ao menos tentar ajudar. É uma questão ética, moral e também caso de polícia.

Quer ter um email com seunome@administradores.com?
Torne-se um Administrador Premium

Talvez o problema seja justamente este. O Brasil há tempos vive uma grave crise ética e moral. Há uma “roubalheira” em todos setores. Muitos que deveriam cuidar do dinheiro público, pouco se importam com o esforço do contribuinte para pagar os impostos. É o exemplo, ou a falta dele, que vem de cima. Caso de polícia? O que dizer? O país possui índices galopantes de violência, corrupção e os policiais que querem realmente proteger a população, são com frequência perseguidos ou mesmo, mortos. “Que país é este?”, já dizia a conhecida música.

A maldade existe e está em todos lugares. Chama a atenção no entanto, a apatia e a capacidade de indignação que vem se perdendo no país. Tudo está banalizado. Se o exemplo deve vir de quem governa, o que esperar de uma governante que disse na ONU, que a solução para o fim da barbárie do autoproclamado Estado Islâmico está no diálogo? Estamos falando de radicais que estão assassinando mulheres e crianças em massa, queimando e enterrando pessoas vivas. Se isto não é capaz de sensibilizar a presidente do país, que deveria estar aliada aos que de fato querem por fim àquela aberração, o que podemos esperar da população governada por ela? Dialogar? As vítimas não dialogam, mas imploram…por suas vidas. Era isso que minha amiga tinha que fazer com os que a assaltavam enquanto ela agonizava?

O que esperar do país que tem registrado ataques de bandos fortemente armados a cidades do interior, como se estivéssemos no tempo do cangaço? Que país é este? Onde mais iremos parar? Não foi a toa que Edmund Burke, tornou célebre as suas palavras ao afirmar que “para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.” Parece que é isto que tem acontecido. Há tempos.

Fiquei bastante curioso em saber em quem os criminosos que assaltaram minha amiga, votaram nestas eleições. Quem eles elegeram para serem seus representantes? Se foram eleitos, é deles que aguardamos os bons exemplos .

Do jeito que a coisa anda, não demora muito para que a placa de “Bem-vindo ao Brasil”, colocada nos aeroportos, seja substituída por “Abandonai as esperanças, vós todos que aqui entrais”, tal qual dito por Dante Aligheri em sua Divina Comédia.

Que Deus proteja o país…. de seu próprio povo….

Post publicado no Portal Administradores por Luiz Hargreaves.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Como lidar com pessoas negativas

Você conhece alguma pessoa negativa? Aquele tipo que diz ‘não’ para tudo, reclama sem parar e faz a planta murchar quando passa perto?

Provavelmente sua resposta será ‘sim’. Seja qual for o motivo, você reconhece que aquele cidadão é tão pessimista que do seu ponto de vista parece irremediável.

Alguns anos atrás enfrentei uma situação desafiadora. Extremamente desgastante. Não sabia ao certo como lidar com pessoas negativas. Não que eu tivesse percebido isso naquele momento.

Um dia após o outro, eu chegava cada vez mais estressado em casa. Os dias eras longos e tensos e praticamente nada se resolvia. Quando chegava em casa já estava muito desanimado. Certo dia, ao ler um artigo e analisar e responder algumas perguntas, cheguei a uma importante conclusão.

Se fosse inevitável, eu deveria agendar as reuniões com as pessoas negativas para o final do dia. Jamais no começo. E era exatamente isso que eu fazia até então. Um dia após o outro. Chegava, me reunia e me sentia exausto o dia todo.

Ao perceber aquela situação e reconhecê-la, prontamente, fiz as mudanças. E posso dizer que funcionou. Mais produtividade e satisfação. Menos estresse.

Sendo assim, separei algumas dicas importantes para você, meu amigo e amiga que está enfrentando essa selva de pessimismo e insetos do tipo ‘não’.

Como lidar com pessoas negativas é algo que deveria ser ensinado em casa e fazer parte da grade curricular tamanho impacto que ele causa nas pessoas.

O pior que você pode fazer com pessoas assim é tentar convencê-las que elas estão erradas.

Procure focar e apresentar as soluções para os problemas. Você não mudará completamente aquela onda ‘não’ mas pode controlar e guiar a conversa.

Ah! Deixe as pessoas serem tão negativas quanto quiserem. Apenas as coloque no lugar certo. Algumas empresas utilizam pessoas desse perfil para avaliar novos projetos. Certamente são tão ácidas que conseguem ver problemas sérios que outros não perceberiam.

Normalmente, por serem mais focados em ‘fazer a coisa certa’, eles fazem no seu tempo. Sendo assim, não apresse os negativos. Você certamente irá atrasá-los.

Outro dia li sobre uma boa tática: seja pessimista primeiro que ele. Acredite, eles podem até mesmo reagir positivamente. Porém, aviso: Essa opção eu ainda não testei.

Sendo assim, sempre agradeça sua boa intenção. Por se tratar de uma característica, muitas vezes eles não fazem por mal. Elogie o fato de ter identificado o problema para que a solução seja descoberta.

O segredo está em como usar esta capacidade analítica.

É importante manter a perspectiva correta, ser paciente e estratégico e reconhecer que o perfil negativo pode até trazer alertas fundamentais.

Como lidar com pessoas negativas é algo que apenas você poderá fazer em sua vida. Mas é certo uma coisa: corvos não voam com as águias.

Post publicado no Portal Administradores por Weslley Zapff.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Um brinde ao sucesso

Cada um de nós analisa os acontecimentos pessoais e profissionais de forma diferente, passamos por situações semelhantes mas esse olhar é que nos diferencia, ver as coisas de forma positiva nos dá força para encarar o que não deu certo. A motivação é essencial e tem que partir de cada um.

Automotivação e autocontrole pra lidar com qualquer situação de forma que você consiga ver sempre o copo “meio cheio”, e não “meio vazio“, tenho certeza que já ouviu essa expressão. É uma maneira de ser otimista em relação as coisas, e funciona. Não estou dizendo pra arriscar a qualquer custo, nem para fechar os olhos, mas para acreditar!

Com planejamento, 50% de você depende da sua mente clara e objetiva, os outros 50% depende de fazer e acreditar, não se deixe influenciar arregasse as mangas. Encare a situação que vivenciou e não tenha dado certo ou uma situação que o deixou desfavorável em relação ao outros, como experiência, analise os riscos e faça de forma diferente, tente mais uma vez, e outra e de novo.

Uma pessoa otimista faz mais negócios que uma pessimista. O otimista aproveita melhor as oportunidades, estuda as situações e isso o deixa mais preparado, mais atento diante dos acontecimentos e mais rápido pra tomar decisões. A perspectiva com que as pessoas analisam as situações é que permite que elas possam enxergar o todo de maneira diferente (copo cheio). Quer saber como é difícil ser tomador de decisões? Tem alguém próximo passando por uma situação difícil, deixe a zona de conforto e se coloque no lugar do outro.

Enche o copo o futuro é logo ali, planejamento, novas ideias, pensamentos positivos e atitudes vencedoras, afinal, o otimista erra tanto quanto o pessimista, até mais, a diferença é que ele tenta. Um brinde se faz sempre com o copo cheio. Sucesso à todos.

A vida segue!

Post publicado no Portal Administradores por Rafaela Camargo.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Como escolher as pessoas com quem você vai compartilhar seus sonhos

iStock
“Alie-se a quem deseja juntar-se à sua missão de vida e cultiva os mesmos valores”

Como já disse algumas vezes, a vida é um processo seletivo. Selecionar bem com quem dividi-la é crucial para ter uma trajetória produtiva e saudável.

Mas como fazer essa seleção em meio a tantos que se aproximam todos os dias? Depois de mais de 20 anos avaliando, selecionando e treinando executivos, além da vida pessoal, é claro, costumo seguir esse critério:
1. Olhe os resultados e não o discurso.

2. Olhe os valores e não títulos ou status quo.

3. Avalie os motivos para elas se aproximarem de você.

4. Observe se por trás elas agem com terceiros da mesma maneira que agem pela frente.

5. Diferencie elogios sinceros de bajulações cínicas dissimuladas.

6. Repare nas reações quando você lhes nega algum pedido.

Que tal participar de 12 workshops online por ano?
Torne-se um Administrador Premium

7. Afaste-se dos que esperam sua perfeição.

8. Alie-se a quem deseja juntar-se à sua missão de vida e cultiva os mesmos valores.

9. Observe se o respeito é um hábito adotado e se a lealdade é praticada mesmo em sua ausência.

10. Dê crédito de primeira, mas retire os pontos pela atitude. Cuidado para não se levar por impressões.

11. Valorize a humildade e reprove a arrogância. Observe como elas tratam os mais simples.

12. Considere a inteligência, mas avalie bem o esforço e a dedicação com os quais eles aplicam em suas tarefas.

Mesmo agindo assim, não há garantias, pois o ser humano é extremamente complexo. Por outro lado, é exatamente por isso que todo esse processo constante pode ser fascinante, desgastante ou até perigoso.

Post publicado no Portal Administradores por Flávio Augusto.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!