Como lidar com a timidez?

iStock

Quem nunca sentiu aquele frio na barriga na hora de conhecer pessoas novas ou quando precisa se expor? Essa nunca é uma situação fácil – e se torna ainda mais complicada quando se trata de pessoas que sofrem com a timidez.

Vale lembrar que ser tímido é algo comum: uma sensação inerente ao ser humano, e nada mais é do que o surgimento do medo quando é preciso interagir com outras pessoas. No entanto, o problema começa quando esse medo impede alguém de ter uma vida “normal” ou de conquistar seus objetivos, devido à timidez excessiva.

Andreia Rego, Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano, comenta que um dos grandes problemas da timidez excessiva é que ela geralmente vem acompanhada de outras características não positivas, como a baixa auto-estima e falta de confiança, a preocupação com o julgamento do outro e o fato de achar que estão sempre sendo observadas. “Essas características fazem com que essas pessoas muitas vezes deixem passar oportunidades por medo de fracassarem ou de ‘darem a cara a tapa’. Porém, no mundo atual, aqueles que não demonstram ser proativos e a fim de conquistar seus objetivos podem ser passados para trás por pessoas que nem sempre possuem as mesmas habilidades e competência, contudo, são corajosas e estão dispostas a errarem ou a nem sempre agradar o outro”, explica.

Mas ser tímido não é o fim do mundo. De acordo com pesquisas feitas pela PUC-RS, com 30 mil internautas em 2013, os tímidos apresentam algumas vantagens: são pessoas silenciosas que estudam mais, que se formam mais na faculdade; são mais controlados com o lado financeiro; a renda financeira é maior; possuem menores chances de desemprego; têm mais discrição nos ambientes; são mais observadores; bons ouvintes; mais concentrados no que fazem, etc. “Ressaltando que isso não quer dizer que extrovertidos também não tenham essas vantagens e diversas outras. Tudo é questão de saber aproveitar o que existe de melhor dentro dessas qualidades”, comenta.

A principal dica que Andreia Rego oferece é: tire proveito de suas características. “Entenda que a timidez é uma característica, e não um defeito. Quando sentir essa sensação, faça um esforço para reconhecer a emoção e se perguntar o motivo de estar se sentindo assim num determinado momento. Encontrando respostas, baixamos as pressões em nós, passando a entender melhor o que acontece dentro da gente”, comenta a profissional, que trabalha com algumas dicas do Coaching para fazer com que a pessoa torne-se menos tímida. “Alguns ‘exercícios’ com os coachees (clientes) são: escolher algum horário do dia e puxar conversa com um conhecido para falar algo do seu interesse; fazer esportes em grupo para trabalhar relação interpessoal; não se cobrar tanto, permitindo-se erros e acertos de forma normal; não se preocupar demais com julgamento dos outros; ser mais otimista; aceitar elogios; acreditar em si e melhorar sua auto-imagem com autoconhecimento e até roupas, cortes de cabelo que lhe agradem”, sugere.

Para a especialista, o ideal é sair da zona de conforto e encarar de frente os medos – porém, se essa atitude parecer muito complicada de ser feita sozinha, a pessoa deve procurar um profissional que lhe auxilie nesse caminho. “É preciso compreender que a timidez não é uma doença e que há várias maneiras de lidar para solucioná-la. Basta a pessoa estar motivada e a fim de ultrapassar essa barreira”, conclui Andreia Rego.

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

As 4 palavras mágicas do relacionamento humano

Existem quatro palavras mágicas que, quando as empregamos, exercem efeito especial sobre as pessoas. São elas: com licença, por favor, desculpe e muito obrigado.

Todos sabemos que elas são muito importantes para o nosso relacionamento, entretanto, parece que muitas pessoas sofrem de amnésia crônica e precisam ser lembradas diariamente disso. Utilizá-las é uma atitude que temos de adotar todos os dias até integrá-las automaticamente ao nosso comportamento. Quando as usamos demonstramos, não apenas, sentimento de consideração pelos outros mas, sobretudo, de boa educação e humildade.

As pessoas querem ser reconhecidas e tratadas com apreço e respeito. As palavras mágicas auxiliam muito no diálogo com as pessoas de nosso relacionamento, e também com todas as outras com quem nos deparamos durante o dia – quando temos que falar com elas -, seja motorista de ônibus, atendente de lanchonete, gari, telefonista ou qualquer outra pessoa.

Ao dizer “com licença”, estamos solicitando permissão para interromper alguém, fazermos ou falarmos algo e, junto com isso, uma mensagem subliminar de que respeitamos a pessoa e gostaríamos de dizer ou perguntar algo. No entanto, o tom de voz é que dirá se estamos pedindo “com licença” de forma humilde e respeitosa, ou se estamos fazendo de maneira arrogante e mal-educada. Cabe a nós nos policiarmos quanto ao modo correto de fazê-lo se quisermos evitar complicações desnecessárias.

Quando falamos “por favor” emitimos a mensagem de que precisamos ajuda ou atenção de alguém, ou como um simples gesto de polidez.

“Desculpe” é uma palavra que demonstra não somente educação, mas também maturidade de quem a pronuncia, porque nem sempre as pessoas gostam de admitir que erraram ou que fizeram algo inadequado.

“Muito obrigado”, pronunciado de forma aberta e sincera, é o melhor gesto de reconhecimento que podemos expressar quando somos auxiliados ou beneficiados em algo. A propósito, você tem o hábito de agradecer às pessoas com quem você convive em casa, no trabalho, em sua comunidade? Se não o faz desafie-se a fazê-lo todos os dias, em todas as circunstâncias que a situação se apresente.

As palavras mágicas são tão essenciais no relacionamento humano quanto o ar que respiramos, pois representam demonstrações de respeito, humildade e atenção às pessoas, e são expressões universalmente reconhecidas e apreciadas por todas as pessoas e povos em qualquer lugar do mundo.

A mais especial das palavras
É bom lembrar que as pessoas têm nome. Então, não deixe de fazer uso do nome delas sempre que conversar com alguém pessoalmente, por telefone ou e-mail. Dale Carnegie, autor de vários best-sellers sobre relações humanas, disse certa vez que o som mais suave e agradável que existe para alguém é o seu próprio nome. Lembrar-se do nome de uma pessoa que você pouco conhece, ou não vê há muito tempo, é algo que encanta qualquer um. Ao dizer o nome dela você está demonstrando estima por esse alguém, e quanto o tem em consideração, pois está registrado em sua memória.

As palavras certas podem provocar milagres
Um cego estava a pedir esmolas na rua e, ao seu lado, uma placa de papelão onde se lia: “Sou cego, por favor me ajude”. As pessoas passavam e, de quando em vez, uma ou outra moeda era lançada na latinha. Um pedestre caminhava apressadamente para o trabalho e, quando já havia passado pelo pedinte, parou subitamente, olhou em sua direção, e voltou. Pegou a placa de papelão e, do outro lado, escreveu algo. Enquanto fazia isso falou simpaticamente com o cego e depositou uma moeda no recipiente. Em seguida colocou o papelão ao lado do cego e foi embora sem dizer mais nada. Não demorou muito e o pedinte começou a ouvir o tilintar das moedas caindo sem parar na sua latinha, até entupi-la. E assim aconteceu por várias vezes. Horas depois o mesmo pedestre, voltando do trabalho, perguntou ao cego se tudo estava bem com ele. Reconhecendo a voz, o pedinte perguntou ao homem o que ele havia escrito no papelão. Este respondeu: “Escrevi a mesma coisa, só que com palavras diferentes. Pus na placa ‘Hoje está um lindo dia, mas não posso vê-lo porque sou cego’.”

Texto extraído e condensado do livro O Livro das Relações Humanas – Seu Manual para Obter Sucesso com as Pessoas, de Ernesto Berg, Juruá Editora. Para acessar o conteúdo ou adquirir o livro visite o site http://www.quebrandobarreiras.com.br seção de LIVROS

Post publicado no Portal Administradores por Ernesto Berg.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Qual o tamanho do seu sonho?

Este é um dos grandes dilemas da vida.

Chega uma hora que o que mais queremos é tranquilidade, menos dores de cabeça, um trabalho menos estressante, enfim, levar a vida numa boa. Mas nem todo mundo gosta disso, certo?!

Existem pessoas que nasceram para solucionar problemas, que sentem prazer e motivação em ser o “desengripante” que desemperra aquela engrenagem enferrujada que pode ser um processo, uma pessoa ou a própria equipe. Pessoas que pensam como empreendedores dentro das empresas para quais vendem o seu tempo em troca de uma remuneração justa e buscam ter papel relevante dentro dos resultados da organização.

Mas e quando o ambiente não ajuda ? Quando os líderes tolhem a criatividade e a iniciativa das pessoas ? O que fazer ? Como podemos ver existem “n” variáveis que acabam favorecendo ou prejudicando nossa capacidade de sonhar. Então esse é o momento de ter um maior senso crítico e saber peneirar aquilo que é realidade e o que é simples comodismo ou aceitação do inaceitável.

O ambiente impacta bastante na nossa capacidade de sonhar, porque nele a maioria das pessoas é de personalidade reativa e desta forma tendem a ver o que está errado ao invés das oportunidades e assim sendo acabamos sendo bombardeados por reclamações ou com frases como “aqui sempre foi assim”, “não é da minha responsabilidade”, “atrasei o relatório porque fulano não me enviou as informações em tempo hábil”, etc.

A auto sabotação também prejudica nossa capacidade de sonhar, isto acontece quando colocamos a culpa das nossas frustrações em terceiros, ou seja, na esposa ou marido que não apoia sua ideia, no chefe que não percebe o seu valor, na empresa que não dá oportunidade de crescimento e até mesmo no bom salário que remunera uma função medíocre. Tudo isso leva a pessoa a zona de conforto e mata nossa capacidade de realização.

Então, diante de todas essas variantes acredito que sonhar grande ou sonhar pequeno dá o mesmo trabalho. Quem sonha pequeno reclama da vida, da esposa, do chefe, da empresa e perde seu tempo procurando desculpas que justifiquem suas frustrações.

Agora se você está entre os 15% das pessoas (estimativa minha) pró-ativas que querem fazer a diferença, mesmo que em alguns momentos tenha uma recaída se tornando temporariamente reativo (pode ser o que está acontecendo agora) busque o que te trouxe até aqui, qual era o seu propósito e nessa retrospectiva tente identificar onde você perdeu a capacidade de sonhar grande. Busque recuperar essa capacidade, revigore sua mente e tenha uma atitude mais positiva e pró-ativa, no começo vai ser difícil mas de passo em passo você vai evoluindo, percebendo os resultados positivos dessa mudança e recuperando o hábito de ser inquieto e obcecado pela excelência de seus resultados.
Por isso sonhe grande!!! E tenha uma atitude grande para poder realizá-lo.

Post publicado no Portal Administradores por Clerence willians.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

5 orientação para combater a crise

As projeções para os próximos meses são no mínimo preocupantes, uma vez que é esperada uma alta inflacionária, proporcionando um agravamento da crise, da qual já sentimos os efeitos. Isso é reflexo tanto do mercado interno, com clara estagnação e grande índice de inadimplência da população, como do externo, no qual as grandes economias já se mostram recessivas há tempos, e países em ascensão, como a China, vêm reduzindo seu crescimento.

Enfim, o macro com certeza vai refletir no micro, isso é, em nossas contas e nossos investimentos. Contudo, mesmo com um cenário pouco animador, não há motivos para desespero, e sim para planejamentos e adequação, buscando sair fortalecido deste período. Para auxiliar, elaborei algumas orientações pertinentes:

Livre-se das dívidas – muitos pensam em como se livrar das dívidas em um momento de crise. Pode parecer impossível, mas é exatamente nesses momentos que os credores também oferecem as melhores condições para negociações. A orientação é que o primeiro passo seja o de resolver o problema que levou ao endividamento, isto é, a causa. Adequar seu padrão de vida a sua realidade é muito difícil, mas é fundamental observar que não pode viver em uma realidade que não é sua. Cortas gastos para ganhar fôlego e, assim, poder assumir o compromisso de pagar as dívidas é a melhor opção agora. Se não se livrar desse problema de forma emergencial, pode ter certeza que a alta dos juros prejudicará a sua saúde financeira no futuro.

Faça uma faxina financeira – sabia que, em média, 25% dos nossos gastos são com supérfluos? As pessoas sempre dizem que não têm mais da onde reduzir os gastos, mas, depois, quando fazem uma análise, observam que é possível. É preciso realizar um diagnóstico de sua vida financeira por 30 dias, anotando tudo o que gasta por tipo de despesa, até mesmo cafezinhos e gorjetas. Assim, verá uma realidade muito diferente do que imagina. Mas ressalto que não se deve virar escravo dessa anotação, pois, quando vira rotina, perde a eficácia.

Chegou a hora de sonhar – por mais que o cenário para muitos seja de pesadelo, nessa hora, é de grande importância sonhar, ou seja, definir os objetivos materiais, pois eles é que farão com que se tenha foco para evitar o descontrole ou mesmo o desespero. Reúna a família e converse sobre o tema, dividindo os sonhos em três tipos: curto (até um ano), médio (até dez anos) e longo (acima de dez anos) prazos, definindo também quanto custam e quanto poderão poupar por mês para realizá-los.

Mude o formato de seu orçamento – um erro comum é pensar que orçamento financeiro familiar consiste em registrar o que se ganha e subtrair o que se gasta e, caso sobre dinheiro, será lucro, se faltar, prejuízo. A forma correta, no entanto, consiste em, primeiramente, elaborar o registro de todas as receitas mensais, posteriormente, separar os valores pré-definidos para os projetos da família e, somente com o restante, adequar os gastos da família. Isso forçará um ajuste do padrão de vida familiar para conquistas financeiras.

Chegou a hora de saber investir – com a alta de juros, agora, é um bom momento para quem que investir, contudo, o grande erro que observo é a ideia de poupar sem motivo e buscar sempre o melhor rendimento. No mercado financeiro, existem diversas opções de aplicação em ativos financeiros com riscos diferentes. A orientação é procurar variar o investimento de acordo com o tempo que utilizará o dinheiro. De forma geral, o risco de uma aplicação financeira é diretamente proporcional à rentabilidade desejada pelo empreendedor, ou seja, quanto maior o retorno estimado pelo tipo de aplicação escolhida, maior será o risco, por isso, é preciso cautela.

Post publicado no Portal Administradores por Reinaldo Domingos.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Você pode e deve sonhar, mas antes é preciso planejar

Reprodução/ iStock
A falta de um rumo traz consequências desastrosas para qualquer ser humano e para qualquer profissional

A falta de um rumo traz consequências desastrosas para qualquer ser humano e para qualquer profissional

É muito comum nos depararmos com pessoas que estão o tempo todo correndo, para tudo quanto é lugar, de forma desenfreada, acreditando que se assim não fizerem, não chegarão a lugar nenhum e nem conseguirão ser alguém.

Mas o que essas pessoas não sabem é que dessa maneira elas não chegarão a lugar nenhum mesmo. Mas não porque estão correndo de forma desenfreada – o que consome, sim, muita energia e recursos –, mas porque correm sem ter um rumo certo, sem saber aonde querem chegar.

O que essas pessoas não sabem é que sem um grande objetivo ou meta em mente, não faz diferença andar devagar ou correr. Na idade da pedra, por exemplo, os humanos também corriam, mas lá eles sabiam que se não corressem seriam devorados pelos selvagens animais. Ou seja, eles tinham um objetivo, um propósito. E por isso funcionava.

A falta deste rumo traz consequências desastrosas para qualquer ser humano e para qualquer profissional. Algumas dessas consequências são:

• Perda de tempo e energia;
• Gasto de dinheiro desnecessário;
• Empregos frustrantes;
• Alianças e parcerias desgastantes;
• Stress;
• Doenças do corpo e da mente pelas diversas insatisfações pessoais e profissionais;
• Desmotivação;
• Falta de foco na vida e na carreira;
• Problemas financeiros e econômicos;
• Discórdias afetivas.

Infelizmente essa lista é imensamente maior e capaz de trazer problemas muito graves às pessoas e profissionais.

Você já ouviu aquela expressão popular “barata tonta”? Pois é exatamente assim que fica uma pessoa sem foco: rodando, de forma enlouquecida, sem chegar a lugar algum.

Todo início de ano acaba sendo uma motivação para novas metas e objetivos, mas infelizmente a maioria delas fica só no discurso.

Bem como o domingo a noite, onde se planeja começar um curso, uma dieta… planos que são deixados de lado no primeiro contratempo da segunda de manhã.
Pois bem, sucesso e felicidade são duas palavras que todo mundo busca. Mas buscá-las de forma aleatória também não vai levar a

lugar nenhum, muito menos ao próprio sucesso e felicidade.
Quer mais conteúdo exclusivo de Administração e Negócios?
Torne-se um Administrador Premium

Ter um rumo na vida e na carreira é ter um grande sonho que será buscado e realizado dentro de um espaço de tempo. É sim um grande fator motivador. Fator, inclusive, que as empresas investem milhares de reais em palestras, cursos, workshops e o que for para incuti-lo na cabeça de seus funcionários, mas quase sempre jogando muito dinheiro fora.

Por quê? Simples! A motivação é um fator que vem de dentro para fora. Se houver fatores externos que possam ajudar, acaba sendo um verdadeiro ganha-ganha para todas as pessoas, profissionais e empresas. Mas é preciso que isso também venha de dentro.

Quer maior motivador do que ter um rumo na vida e na carreira? Um sonho ou objetivo que só pela busca e na visualização do atingimento já traz a tal MOTIVAÇÃO? Afinal, significa “motivos que levam à ação”. Faz sentido, não?

Por isso, é necessário que as pessoas e empresas revejam no que estão investindo e invistam em ferramentas que deem um rumo em suas vidas e carreiras. Assim, teremos pessoas e colaboradores, de fato, automotivados, com foco e altamente produtivos. E depois disso, garantir que essa automotivação seja mantida – senão as pessoas perdem novamente o foco e os colaboradores vão atrás de empresas que atendam suas novas necessidades.

Muitas vezes também vejo que a própria palavra “planejar” assusta as pessoas e os profissionais, afinal, está muito ligada a metas empresariais apenas. Sim, planejamento é fundamental para empresas de sucesso, mas também para pessoas e profissionais que querem ter sucesso na vida e profissão.

Planejar é ter muito claro o rumo que se quer atingir dentro de um espaço de tempo. Por isso, com este direcionamento e foco, é possível saber e analisar claramente tudo o que precisamos para chegar neste grande sonho e/ou objetivo. Este rumo é o destino final para você chegar. Imagine um avião ou um navio sem rumo específico? Seria um caos. Na vida também.

Planejar é direcionar seus esforços e recursos disponíveis para chegar neste destino, rumo, sonho, ou seja lá como você prefere chamar! Mas fica aqui uma observação: junto com o rumo tem que vir a estratégia de atitude. Só planejar sem agir também não leva a lugar nenhum. “Intenção sem ação não leva a lugar nenhum”.

E para finalizar nossa análise, se você ainda tem dúvidas dos benefícios que ganhará planejando sua vida e carreira, vou listar alguns deles:

• Foco;
• Clareza;
• Aproveitar da melhor maneira as oportunidades que aparecerem;
• Saber se defender das ameaças;
• Se preparar e potencializar seus talentos e suas forças;
• Corrigir suas fraquezas ou limitações, pois sabe que se não o fizer, não vai chegar lá;
• Economizar dinheiro;
• Conquistar saúde física, mental e emocional;
• Aumento de produtividade;
• Fazer muito mais com muito menos;
• Ganhar muito mais qualidade de vida;

Quer ter sucesso e ser feliz? Tenha um rumo certo e vá atrás dele. Simples assim. E só depende de você.

Alexander Baer – Presidente da Alexander Baer e Associados, Palestrante Profissional, Professor Convidado do MBA da Fundação Getúlio Vargas e Fundação Getúlio Vargas Corporativa, e também Coach Estratégico®, com atuação nacional nas áreas de Planejamento Estratégico Organizacional e de Vida e Carreira. http://www.alexanderbaer.com.br.

Post publicado no Portal Administradores por Alexander Baer.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Controle suas emoções ou será controlado por ela

1456737_586877154725236_1953835824_n

 

Seja ousado, não tenha medo de fazer o que você ama. Por que a vida é muito curta e passa muito rápido. Então ouse e faça acontecer, a não ser que você esteja satisfeito com o seu desempenho profissional e pessoal.

Pense grande, seja grande.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!