Você pode e deve sonhar, mas antes é preciso planejar

Reprodução/ iStock
A falta de um rumo traz consequências desastrosas para qualquer ser humano e para qualquer profissional

A falta de um rumo traz consequências desastrosas para qualquer ser humano e para qualquer profissional

É muito comum nos depararmos com pessoas que estão o tempo todo correndo, para tudo quanto é lugar, de forma desenfreada, acreditando que se assim não fizerem, não chegarão a lugar nenhum e nem conseguirão ser alguém.

Mas o que essas pessoas não sabem é que dessa maneira elas não chegarão a lugar nenhum mesmo. Mas não porque estão correndo de forma desenfreada – o que consome, sim, muita energia e recursos –, mas porque correm sem ter um rumo certo, sem saber aonde querem chegar.

O que essas pessoas não sabem é que sem um grande objetivo ou meta em mente, não faz diferença andar devagar ou correr. Na idade da pedra, por exemplo, os humanos também corriam, mas lá eles sabiam que se não corressem seriam devorados pelos selvagens animais. Ou seja, eles tinham um objetivo, um propósito. E por isso funcionava.

A falta deste rumo traz consequências desastrosas para qualquer ser humano e para qualquer profissional. Algumas dessas consequências são:

• Perda de tempo e energia;
• Gasto de dinheiro desnecessário;
• Empregos frustrantes;
• Alianças e parcerias desgastantes;
• Stress;
• Doenças do corpo e da mente pelas diversas insatisfações pessoais e profissionais;
• Desmotivação;
• Falta de foco na vida e na carreira;
• Problemas financeiros e econômicos;
• Discórdias afetivas.

Infelizmente essa lista é imensamente maior e capaz de trazer problemas muito graves às pessoas e profissionais.

Você já ouviu aquela expressão popular “barata tonta”? Pois é exatamente assim que fica uma pessoa sem foco: rodando, de forma enlouquecida, sem chegar a lugar algum.

Todo início de ano acaba sendo uma motivação para novas metas e objetivos, mas infelizmente a maioria delas fica só no discurso.

Bem como o domingo a noite, onde se planeja começar um curso, uma dieta… planos que são deixados de lado no primeiro contratempo da segunda de manhã.
Pois bem, sucesso e felicidade são duas palavras que todo mundo busca. Mas buscá-las de forma aleatória também não vai levar a

lugar nenhum, muito menos ao próprio sucesso e felicidade.
Quer mais conteúdo exclusivo de Administração e Negócios?
Torne-se um Administrador Premium

Ter um rumo na vida e na carreira é ter um grande sonho que será buscado e realizado dentro de um espaço de tempo. É sim um grande fator motivador. Fator, inclusive, que as empresas investem milhares de reais em palestras, cursos, workshops e o que for para incuti-lo na cabeça de seus funcionários, mas quase sempre jogando muito dinheiro fora.

Por quê? Simples! A motivação é um fator que vem de dentro para fora. Se houver fatores externos que possam ajudar, acaba sendo um verdadeiro ganha-ganha para todas as pessoas, profissionais e empresas. Mas é preciso que isso também venha de dentro.

Quer maior motivador do que ter um rumo na vida e na carreira? Um sonho ou objetivo que só pela busca e na visualização do atingimento já traz a tal MOTIVAÇÃO? Afinal, significa “motivos que levam à ação”. Faz sentido, não?

Por isso, é necessário que as pessoas e empresas revejam no que estão investindo e invistam em ferramentas que deem um rumo em suas vidas e carreiras. Assim, teremos pessoas e colaboradores, de fato, automotivados, com foco e altamente produtivos. E depois disso, garantir que essa automotivação seja mantida – senão as pessoas perdem novamente o foco e os colaboradores vão atrás de empresas que atendam suas novas necessidades.

Muitas vezes também vejo que a própria palavra “planejar” assusta as pessoas e os profissionais, afinal, está muito ligada a metas empresariais apenas. Sim, planejamento é fundamental para empresas de sucesso, mas também para pessoas e profissionais que querem ter sucesso na vida e profissão.

Planejar é ter muito claro o rumo que se quer atingir dentro de um espaço de tempo. Por isso, com este direcionamento e foco, é possível saber e analisar claramente tudo o que precisamos para chegar neste grande sonho e/ou objetivo. Este rumo é o destino final para você chegar. Imagine um avião ou um navio sem rumo específico? Seria um caos. Na vida também.

Planejar é direcionar seus esforços e recursos disponíveis para chegar neste destino, rumo, sonho, ou seja lá como você prefere chamar! Mas fica aqui uma observação: junto com o rumo tem que vir a estratégia de atitude. Só planejar sem agir também não leva a lugar nenhum. “Intenção sem ação não leva a lugar nenhum”.

E para finalizar nossa análise, se você ainda tem dúvidas dos benefícios que ganhará planejando sua vida e carreira, vou listar alguns deles:

• Foco;
• Clareza;
• Aproveitar da melhor maneira as oportunidades que aparecerem;
• Saber se defender das ameaças;
• Se preparar e potencializar seus talentos e suas forças;
• Corrigir suas fraquezas ou limitações, pois sabe que se não o fizer, não vai chegar lá;
• Economizar dinheiro;
• Conquistar saúde física, mental e emocional;
• Aumento de produtividade;
• Fazer muito mais com muito menos;
• Ganhar muito mais qualidade de vida;

Quer ter sucesso e ser feliz? Tenha um rumo certo e vá atrás dele. Simples assim. E só depende de você.

Alexander Baer – Presidente da Alexander Baer e Associados, Palestrante Profissional, Professor Convidado do MBA da Fundação Getúlio Vargas e Fundação Getúlio Vargas Corporativa, e também Coach Estratégico®, com atuação nacional nas áreas de Planejamento Estratégico Organizacional e de Vida e Carreira. http://www.alexanderbaer.com.br.

Post publicado no Portal Administradores por Alexander Baer.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

Resoluções de carreira: 10 dicas para não desistir no meio do caminho

Se soubéssemos aproveitar as férias, não para encerrarmos um período de dedicação ao trabalho, estudos e outras atividades desgastantes, mas tratá-las como início de um período de realizações, possivelmente nosso índice de estresse diminuiria e a energia positiva aumentaria.

Quando criança, era inevitável voltar às aulas escolares e a professora, especialmente de Língua Portuguesa, pedir para fazermos a tradicional redação com o tema “Minhas Férias”.

Lembro-me que conseguia descrever com detalhes cada dia e cada brincadeira como se um filme estivesse sendo passado naquele momento.

Um dos fatores que permitiam essa criatividade e inspiração é algo que muitos adultos vão perdendo com o tempo: o entusiasmo.

O mesmo entusiasmo por programar uma viagem ou arrumar as malas pode ser, reservadas as devidas proporções, utilizado para a realização de sonhos, metas ou projetos.

Todo início de ano é sempre igual para a maioria das pessoas que se determinam, ou melhor, pensam que se determinam – o que é bem diferente – a realizarem muitos planos e acabam ficando pelo meio do caminho. Meio não, no início mesmo, alguns até nem começar conseguem.

E o que fazer para sair do quase e chegar ao feito?

1. Diferencie os sonhos de metas – Meta é a forma prática de se realizar e materializar os sonhos.

2. Seja preciso – Faça uma profunda e sincera reflexão sobre o que REALMENTE você deseja.

3. Registre a meta – Anote fisicamente todas as metas para que nenhuma fique apenas na mente, dividindo-as em curto, médio e longo prazo.

4. Defina um plano de ações – Parta da meta macro para metas micros com pequenas práticas diárias ou semanais. Comece pelas mais fáceis de serem alcançadas, desta maneira sentirá a satisfação e recompensa pela dedicação.

5. Aja – Lembre-se: Não importa se o “ano novo” é apenas uma divisão cronológica ou um recomeço, o que realmente importa são as atitudes que terá para que quando terminar, tenha sido grandioso.

6. Persista – Por mais eficaz que um plano seja, somente a execução gerará resultados. Portanto, não esmoreça.

7. Acompanhe – Para não perder de vista, determine um dia da semana para checar o que foi feito e reprograme o que ficou pendente.

8. Seja guardião dos seus sonhos – Não permita que pessoas negativas influenciem seus pensamentos, tampouco seja auto-sabotador.

9. Tenha disciplina – O principal fator de desistência dos projetos está exatamente no “depois eu faço”, gerando o acúmulo de atividades e desestímulo em decorrência de preguiça.

10. Agradeça – A gratidão gera um processo satisfatório na relação com o universo fazendo com que a lei da atração torne-se uma constante.

Se deu certo no ano que passou, continue. Se não deu, inove, faça diferente. Se ficou no quase, persista.

Post publicado no Portal Administradores por Mauricio Seriacopi.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

5 dicas para um planejamento eficiente em 2015

Para que 2015 seja um ano de lucro e crescimento, o primeiro passo é fazer um planejamento eficiente. Eduardo Shakir Carone, sócio e fundador da Nexto, gestora de investimentos focada em patrimônio empresarial, apresenta cinco passos para ajudar o gestor a definir o seu plano e começar o ano de forma positiva.

Os cinco passos citados por ele são:

1 – Revisite o passado

“Você fundou essa empresa por uma razão e tinha crenças ou convicções no que estava fazendo. Não importa se você chama isso de Missão, Visão e Valores ou se denomina como cultura organizacional, DNA empresarial ou Filosofia Empresarial. Antes de começar a planejar 2015, é fundamental revisitar as razões da existência da sua empresa e, se necessário, adaptá-las às novas realidades. Todos os membros da organização têm de olhar e remar para o mesmo lado. E, neste aspecto, dividir a cultura é fundamental para qualquer planejamento”, afirma Carone.

2 – Dê um pulo no futuro

Pegue um papel em branco, uma caneta e comece desenhar como será sua empresa daqui a cinco anos. Quais produtos e serviços teremos? Em quais regiões estaremos atuando? Quantos empregos e renda vamos gerar? Quanto devemos faturar e quanto lucro conseguiremos produzir para os nossos acionistas? “É essencial ter uma visão de médio e longo prazo para saber onde se quer chegar”, destaca.

3 – Transforme o sonho em metas ano a ano

Considerando o cenário de 2014 e os objetivos para 2019, é hora de preencher as lacunas, ou seja, o que precisa acontecer nos próximos cinco anos para se atingir as metas traçadas. Calcule o crescimento médio necessário para chegar à taxa de crescimento desejada para 2019 (exemplo: 30% ao ano). “Incline um pouco a curva no começo e suavize um pouco no final. Neste caso, você começaria crescendo 40% ao ano e terminaria na faixa de 20% ao ano. Quanto maior o seu tamanho, mais difícil fica crescer percentualmente”, ressalta Carone.

4 – Chegue mais perto, e mais perto

Do plano inicial de cinco anos, é importante detalhar um pouco. Considere os próximos três anos e, especificamente em relação a 2015, faça essa abertura de forma mensal. Tenha metas financeiras e operacionais; compartilhe ela com todos os colaboradores da empresa e pense em uma boa forma de gratificá-los caso essas metas sejam cumpridas. “É fundamental você saber na ponta da língua quanto dinheiro vai precisar para colocar esse plano de pé. Lembre-se que lucro contábil não é caixa; via de regra, quanto mais se cresce, mais dinheiro se precisa. O capital de giro e os investimentos em ativo fixo costumam ser as contas que mais drenam caixa”, lembra Carone.

5 – Acompanhe, no mínimo mensalmente, o seu planejamento

Segundo Carone, uma projeção sem acompanhamento e cobrança é completamente inútil. Trata-se apenas de papel engavetado. Assim, é preciso fazer reuniões mensais de resultados com todos os colaboradores juntos, cobrar quem não está entregando, elogiar quem está. “Metas não batidas não precisam vir acompanhadas de explicações, mas precisam vir acompanhadas de planos de mudança. A definição de insanidade é fazer a mesma coisa, do mesmo jeito, e esperar um resultado diferente”, ressalta.

Segundo ele, ao final do ano, quando for preparar o planejamento de 2016, retome o plano inicial que você fez e veja se está chegando lá. “Sonhe bem grande, assim se você chegar na metade do caminho já será um empresário de grande sucesso”, afirma.

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

A importância da motivação para o sucesso de uma pessoa

Motivação é sentir todas as estrelas do céu penetrarem a sua alma, é ser tomado por um espírito fauno que fará com que seus adversários temam e tremam ao contemplarem a imponência e intrepidez vinda de seus olhos. Não foi por acaso que Cyntia Kersey formidavelmente disse: “Acredite em si próprio e chegará o dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você.”

Por inúmeras vezes em minha caminhada profissional, pude notar a existência melancólica de tigres adormecidos, que mais pareciam lebres assustadas, tamanha a timidez e total covardia em acreditar nas próprias potencialidades. E é exatamente por esse motivo que o nosso mundo vem sendo degradado ao longo dos séculos, pois somos os únicos escultores dessa esfera, de sorte que se negligenciarmos nossas responsabilidades, as forças superiores se encarregarão de punir e de destronar tais imprudências. Em outras palavras, cada ser humano é responsável por seu próprio crescimento, de modo que seu futuro será um fruto fiel daquilo que ele escolheu plantar no presente.

Pense comigo: porque algumas pessoas vencem na vida e outras não? A resposta é ridiculamente óbvia: ora, porque as primeiras acreditam que nasceram única e exclusivamente para o sucesso, já as segundas foram completamente influenciadas pelo anjo da derrota, que as convenceu de que elas vieram para essa terra somente para serem pisoteadas, maltratadas e desvalorizadas. Logo, existem os fracos (sem confiança alguma) e os fortes (com toda a confiança existente), fazendo com que o mercado tenha pouquíssimos líderes pelo fato da maioria das pessoas fazer a escolha (errada) de viver sem esperança em seus corações.

Portanto, que possamos mudar tal atmosfera, gerando um efeito energizante que fará com que os nossos semelhantes se valorizem mais e consequentemente possam mudar as próprias vidas e também as daqueles que existem a sua volta.

Como ter uma vida saudável?

Michael Levine disse: O pessimista é aquele que reclama de barulho, quando a oportunidade bate à sua porta.

Quem vive desalmado não consegue prestar atenção nas coisas boas, pois vive cercado de armadilhas criadas por ele mesmo (autossabotagem). Assim, ele faz dos pensamentos negativos a sua âncora e transforma a sua vida em uma caixinha onde a alienação e o pânico são os dois principais pilares vigentes.

Conheço pessoas a minha volta que possuem inúmeros privilégios, mas que não agradecem por tê-los e tampouco demonstram em atitudes que estão satisfeitas com aquilo que herdaram. Vivem depressivas, entristecidas e rancorosas, são semelhantes a uma flor linda e perfeita, mas que não exala perfume algum.

O que falta para essas criaturas não é dinheiro, status e tampouco “um grande amor”, mas sim uma palavrinha de 10 letras, a saber: ENTUSIASMO. Essa magnífica palavra é originária do grego e significa que um ser tem a capacidade ínfima de “ter um deus dentro de si”, ou seja, é uma explosão de energia que culmina na maximização do êxtase humano, em todas as suas instâncias. Logo, é algo que representa muito mais do que uma simples atitude rotineira, pois é uma arma poderosa se usada de maneira estratégica, porquanto transformará grandiosamente a existência de quem aprendeu como aproveitá-la.

Somente para exemplificarmos o que foi exposto acima, farei uma comparação entre as ideias expostas nos parágrafos e o cerne da mecânica quântica: no mundo quântico, vemos que todas as nossas ações são repelidas e que voltam para a sua origem (como um boomerang), além disso, nossas atitudes boas ou ruins tem o poder de interferir no presente e futuro da humanidade, influenciando a história de forma positiva e/ou negativa. Desta forma, além do compromisso que possuímos com nós mesmos, temos total responsabilidade também para com o nosso planeta, controlando nossos pensamentos e evitando que nossos sentimentos sejam recheados de negatividades e malignidades, o que contribuirá para a harmonia do universo e consequentemente, para a paz do nosso mundo. Foi exatamente pensando nisto que o sábio pensador Deepak Chopra disse: “O que for teu desejo, assim será tua vontade. O que for tua vontade, assim serão teus atos. O que forem teus atos, assim será teu destino.
Como não deixar que o ego ofusque nossos talentos

O ser humano é naturalmente egoísta, soberbo e arrogante, ou seja, é da personalidade do homem pensar apenas em si mesmo. Assim, ele perde inúmeras oportunidades em sua vida por ostentar um comportamento rígido e centralizador. Quer exemplos práticos?

É pela falta de humildade que você deixa de fazer uma pergunta para alguém e volta para a sua casa sem a resposta. É pela falta de irreverência que você não admite sequer pensar em seus defeitos, para que sua mente se abra e você possa corrigi-los. É pelo fato de você ser muito preocupado com os julgamentos das pessoas que nem ao menos canta mais, pois tem medo de alguém criticar e ridicularizar a sua afinação. É também por medo de perder um amigo que você prefere dizer uma mentira e ser hipócrita do que proferir uma verdade e ser honrado. Portanto, o nosso orgulho estagna implacavelmente nosso crescimento, criando uma espécie de barreira que faz com que sejamos afetados por nossas próprias escolhas e decisões.

Destarte, o ego é um dos grandes espelhos que temos para quebrar, fazendo com que esse limitador de competências seja tirado completamente de nossa existência para que possamos caminhar com asas nos calcanhares e não com bigornas nas costas.

O que quero defender com os exemplos acima é que você somente será um grande artesão se não tiver receio de pôr a mão na massa, literalmente. Vale lembrar que é apenas através dessa questão que conseguimos separar os fortes dos fracos, pois os primeiros possuem recorrente submissão e buscam aprender sempre, mesmo que isso lhes custe á própria dignidade. Diferente dos segundos, que preferem viver sem evolução alguma para preservarem a sua estimada e incomprável “reputação”.

Tenho muita pena desses últimos, que no fim de suas vidas olharão para trás e notarão as coisas que edificaram, contemplando uma surpresa desagradável e assustadora ao notar que poderiam ter sido criaturas sublimes, excepcionais e perfeitas, mas que não passaram de seres medíocres, superficiais e frágeis, que trocaram a felicidade e o amor verdadeiro por meros diamantes falsificados, envergonhando a si mesmos e causando grandes ruínas. Em contrapartida, tenho muita alegria daqueles que decidirem fazer diferente, acreditando que o talento e o dom são atributos que precisam ser gerados e nunca herdados. E que também só podem ser conquistados através da persistência, da determinação e do foco.

Como usar o terreno estrategicamente
O ambiente em que transitamos influencia grandiosamente nosso estado de espírito, de sorte que se vivemos em uma galáxia desgastante e alienante seremos totalmente engolidos pelo espírito maligno da infelicidade. Em outros termos, o que quero externar é que quando interagimos com pessoas mentalmente fortes nós ascendemos e nos tornamos criaturas virtuosas, mas quando interagimos com seres de pensamentos vãos e atitudes apequenadas, nos transformamos em pessoas subdesenvolvidas.
Sendo assim, você precisa se conectar com pessoas que valem realmente á pena e não com “qualquer um”. Infelizmente, muitos de nossos semelhantes cometem o equívoco colossal de querer “abraçar o mundo todo”, criando inúmeros laços com os outros sem estabelecer nenhum tipo de critério. Isso demonstra a carência dessas pessoas e a insegurança que elas possuem, que faz com que elas sejam as principais responsáveis pela própria infortunidade.
Além disso, é preciso adaptar o local onde você vive a sua personalidade, ou seja, é preciso torná-lo propício ao seu conforto. Por exemplo: se você gosta do silêncio e da passividade, sua vida será um inferno constante se você residir próximo a uma estrada movimentada, ou se morar perto de vizinhos agitados. Desta forma é fundamental que haja uma adequação entre aquilo que se deseja e entre e aquilo que está ao seu redor, procurando harmonizar essas duas variáveis para que tudo ocorra de forma equacionada.
Existe ainda o alimento que sua alma absorve cotidianamente, que nada mais é do que os programas que você assiste na TV, ou os sites que você escolhe para navegar, ou os livros e revistas que adquire, ou os locais que opta para transitar, ou as atividades ligadas ao seu trabalho, enfim, essas e outras são todas formas variadas que seu cérebro possui para aspirar energias. Deste modo, é necessário que você faça uma análise minuciosa do quanto essas coisas o motivam ou não, criando ações para corrigir/eliminar os pontos desmotivadores e para otimizar os motivadores, objetivando alcançar um estado de equilíbrio entre as responsabilidades e seu nível de contentamento ao executá-las.
Concluindo, a sua missão é extremamente simples: faça com que seu mapa seja confortável e regozijante, gerando uma atmosfera de paz e tranquilidade que fará com que sua rotina seja completamente satisfatória e digna de ser vivida com extremo júbilo e total desfastio.
Então, que possamos sorrir mais em nosso dia a dia e que saibamos valorizar tudo aquilo que nos foi entregue, fazendo com que sejamos mais dignos em nossas atividades. Sem dúvidas, os normais jamais poderão ser usados, tendo em vista que essa dádiva somente será dada aos diferenciados, que além de gozarem de uma marca única também serão merecidamente contemplados pelo poder mágico de colorir o universo, desenhando novos cenários de acordo com os próprios desejos criados.

Post publicado no Portal Administradores por Pablo de Paula.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

A motivação no ambiente profissional

Como a motivação deve ser implantada no ambiente profissional?

Não existe uma regra especifica que defina a formação de equipes motivadas, já que esse estágio é dependente da integração e adaptação do grupo a cultura de cada organização. Abaixo coloco algumas variáveis que determinam essa evolução dentro das organizações.

a) Todo processo de conquista depende do relacionamento inter e intra-ambiente. Devemos eliminar os conflitos internos, direcionando o potencial das equipes para o esforço comum e participativo no sentido de entender e criar soluções de mercado pelo mercado, evitando concorrências internas, formando um ambiente de troca entre os colaboradores.

b) Treinar pessoas significa nivelar os conhecimentos do grupo com ênfase em uma maior possibilidade de acertos para geração de resultados. Resultados quando participados, criam satisfação pessoal, estimulando o aprendizado e conscientizando a dependência e necessidade dos trabalhos de equipes.

c) Os ganhos das empresas devem sempre ter a sua parte proporcional e variável, na forma qualitativa e quantitativa, revertida aos seus colaboradores. Assim o estímulo ao desafio deve ter seu lado prático e serem sabiamente mensurados e valorizados, impulsionando os que diretamente ou indiretamente atuam pelo negócio.

d) Modelos que motivam procuram reunir seus valores humanos em todas as fases do negócio, valorizando o conhecimento tanto nas participações estratégicas, como nas táticas.

Post publicado no Portal Administradores por Sérgio Dal Sasso.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Foco na motivação: chave para uma carreira de sucesso

Quando o profissional está vivendo um momento de estagnação ou enfrentando obstáculos na posição que ocupa dentro da empresa, geralmente, ao refletir sobre sua carreira, não consegue pensar em outra coisa além das razões que o desmotivam ali. Trata-se de uma reação natural do ser humano. Esta, no entanto, é uma atitude que não contribui para a evolução do profissional e tampouco o ajuda a conquistar uma trajetória que traga os resultados esperados a médio ou longo prazo.
Ao contrário disso, costumo aconselhar os executivos com os quais trabalho a analisarem sempre os fatores que os motivam, ou seja, tentarem enxergar o “copo cheio” e se moverem em volta disso.

Esse olhar pode ajudá-los a analisar com mais isenção a situação da sua carreira. Mesmo que o momento profissional seja considerado satisfatório, essa análise torna-se fundamental no sentido de não deixar o estado de acomodação se instalar. Vale lembrar, nesse contexto, que as empresas que buscam um executivo inovador evitam os profissionais acomodados.

Hoje, mais de 70% dos executivos que mudam de empresa levam em conta na hora da decisão os fatores desmotivadores, por exemplo: relacionamentos com superiores, remuneração e falta de projetos. Na contramão dessa onda, estão os profissionais que têm um plano para a carreira e procuram se desenvolver com base em projetos que contribuem concretamente para o negócio em que atuam, transformando o reconhecimento profissional em consequência de suas conquistas.

Ao analisar o que o motiva, o ideal é que o profissional coloque na balança fatores importantes, como a qualidade de vida, a possibilidade de desenvolvimento dentro da companhia, se os gestores o inspiram e, finalmente, se é oferecido um plano de carreira consistente. Essa caminhada, às vezes árdua, rumo à realização profissional requer uma movimentação de carreira e deve estar baseada em três pilares: O profissional, o mercado (representado pelo RH das empresas) e a consultoria especializada de RH. Neste ponto, o acompanhamento da consultoria é estratégico, pois contribui para o alinhamento das expectativas do profissional e também das características da vaga demandada pelo mercado.

Ao ingressar em uma empresa, o candidato deve ter muito claro em sua mente quais são seus reais objetivos e, claramente, compartilhá-los com a consultoria. Isso evitará que perca tempo trabalhando em posições que não têm a ver com suas ambições e que tampouco representam um caminho para alcançá-las dentro de alguns anos. Se o objetivo do profissional é vivenciar uma experiência internacional, por exemplo, deve-se observar se o cargo oferecido possibilitará uma expatriação.

Finalmente, uma das principais recomendações aos executivos é que trabalhem com as ferramentas mais importantes para o ser humano: Felicidade e satisfação. São elas que nos empurram para frente e podem ser transformadas em rentabilidade para o empregador, pois a pessoa satisfeita e feliz, comprovadamente, rende muito mais!

Bruno Leão – Gerente na consultoria de Recursos Humanos Randstad Professionals

 

Post publicado no Portal Administradores por Bruno Leão.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Um bom motivo para você acreditar que perder uma batalha não significa perder a guerra

Esse vídeo já circula na internet há alguns anos e é o registro de uma das cenas mais inspiradoras do esporte mundial. A velocista Heather Dorniden seguia bem numa disputa de 600 metros. Havia acabado de assumir a liderança. Mas tropeçou, caiu e chegou a ter a receber um chute involuntário de uma concorrente no rosto.

Com a queda, as adversárias abriram uma longa vantagem e o sonho de vencer a prova, que até pouco tempo dali parecia tão real, foi por água abaixo.

Será mesmo?

Vídeo postado no Portal Administradores pela Redação, http://www.administradores.com, 4 de junho de 2014, às 16h22

É um grande exemplo de vida e de superação.
Você pode cair uma, duas, ……, dez vezes, mas a cada queda é a chance de você se levantar ainda mais forte, para encarar novos desafios e aprender para não cometer os mesmos erros.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!