Seja você e vire tendência

É fato que todos vivemos uma busca incessante pela felicidade, realização ou reconhecimento.
Frequentemente nos propomos a fazer o que tiver que ser feito para alcançar nossos ideais. A maioria de nós muitas vezes negligencia a qualidade de vida para alcançar esses ideais, e, nessa busca, acaba se desconectando da sua essência.

Poucos expressam com certeza seus valores impulsionadores, conseguem expressar em poucas palavras qual sua missão pessoal e propósito de vida.
Os que o fazem, normalmente os vinculam a fatores materiais como “proporcionar boa formação aos meus filhos”, “adquirir minha casa própria”, “alcançar meu primeiro milhão de dólares” e por aí vai.

Esses certamente são objetivos interessantes, desafiadores e até nobres, mas não fatores que geradores de SIGNIFICADO para a vida.

Como alcançar esse significado se sequer olharmos para dentro e reconhecermos o que verdadeira e essencialmente nos motiva? Antes é preciso sondar as próprias convicções a respeito de si mesmo e responder algumas questões simples:

√ O que mais gosto na minha personalidade?
√ Em que momento me sinto em paz comigo mesmo?
√ Quais decisões já tomei que me fizeram sentir satisfação após constatar os resultados?
√ Em que aspectos eu AGREGO VALOR à vida das pessoas do meu convívio?

Estamos tão acostumados a observar o que não gostamos, que acabamos por inverter nosso olhar e buscar fora de nós o que somente é possível obter se já tivermos encontrado dentro.

Dia após dia, são publicadas reportagens de executivos de sucesso que abandonam sua carreira para viver uma vida mais leve, significativa, com menos sacrifício pessoal e maior qualidade de vida. Certamente essas pessoas tiveram algum tipo de experiência que as despertou quanto à sua essência. E o mais interessante é que após essa descoberta, elas estão experimentando um tipo de sucesso e admiração interna e externa que posição ou status JAMAIS as dariam. Sem contar que se declaram mais felizes, realizados, admirados e valorizados como nunca antes.

As pessoas que alcançam esse nível de consciência, seja por amor próprio ou através da dor após terem que superar algum tipo de somatização, causada pela própria ganância ou negligência, passam a viver a verdadeira REALIZAÇÃO. Começam a desfrutar dos resultados que produzem, a utilizar para o próprio bem o que os recursos que conquistam, passam a gostar mais de si e a expressar o carinho pelas pessoas do seu convívio, exalam entusiasmo e gratidão.

E você? Está “correndo atrás” da sua felicidade ou tem vivido de tal forma que sua realização se manifesta no seu dia a dia?

Atitude é fundamental, afinal, só o que cai do céu sem esforço é chuva, porém, sem domínio próprio e equilíbrio entre áreas da vida certamente será menos provável que você se torne uma referência ou inspiração para as outras pessoas. Está aí a base para todo propósito: impactar e impulsionar a vida de outros através do que fazemos.

Identifique sua essência, mapeie sua jornada de sucesso, celebre cada conquista, tire tempo para estar com você e com as pessoas que diz amar. Vá além de SOBREVIVER. Busque e reveja periodicamente sua autenticidade. Seja você e vire tendência!

Post publicado no Portal Administradores por Vanessa Milis.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

7 sinais de que você é mais inteligente do que pensa

iStock

A inteligência vem em diferentes formatos. Diferentes habilidades, sem nenhuma conexão aparente, podem ser sinais de inteligência. E as pessoas tem diferentes habilidades, todas advindas de diferentes formas de serem educadas. Em um recente artigo de Maggie Heath, para o Lifehack, ela fala justamente sobre inteligência e sobre ser inteligente.

“Se eu estivesse em uma sala cheia de físicos, eu me sentiria a pessoa menos inteligente do recinto. Porém, coloque-me em uma sala só com escritores e eu vou me sentir em casa. Você nunca vai querer se sentir menos inteligente do que você é”, escreve Maggie. Inteligência nem sempre se apresenta como o que está escrito nos livros ou proficiência em um campo acadêmico. Inteligência também pode ser achada em habilidades práticas, habilidades artísticas, até atléticas!

Muita gente não se acha muito inteligente simplesmente por não estar em alguma categoria, mas você com certeza é mais inteligente do que acha. Quer saber o porquê? Confira 7 sinais de que você é bem mais inteligente do que acha:
1 – Você é exigente com seu cérebro

Uma das coisas mais frustrantes que pode acontecer com você é não ser capaz de entender algo. “É terrivelmente irritante conhecer algo que você não entende, não é?”, indaga Maggie. “Geralmente as coisas são compreendidas facilmente por você. Então, tudo que não é rapidamente compreendido, faz você se sentir mal com a própria inteligência”, completa.
2 – Você está por dentro das coisas

“Pessoas inteligentes estão sempre ligadas no mundo ao seu redor. Você provavelmente gosta de se manter atualizado: de ler o jornal a chegar o feed do Twitter. Você gosta de saber o que está acontecendo no planeta, no seu país e no seu estado. Mesmo que não seja o seu campo de especialidade, você gosta de estar por dentro”, escreve Maggie.
3 – Às vezes as pessoas não te entendem

Talvez seu humor seja sofisticado demais ou seu vocabulário avançado demais. Não importa a situação, é comum que pessoas inteligentes sejam mal interpretadas. “Não é culpa sua, é apenas como as pessoas espertas atravessam a vida. Você está sempre se explicando algo para os outros”, diz Maggie.
4 – Seus amigos são inteligentes

Pessoas inteligentes tendem a se cercar de pessoas inteligentes. Afinal de contas, quem gosta de estar com pessoas que não entendem suas colocações ou piadas? Seus amigos irão entender, então eles são tão inteligentes quanto você. E sim, eles acham a mesma coisa sobre você.
5 – Você tem altas expectativas para si mesmo

Altas expectativas cercam a vida de pessoas inteligentes. Até quando crianças, pessoas inteligentes são colocadas em classes avançadas ou recebem material mais avançado de leitura. Por causa disso, pessoas inteligentes tem grandes planos para o futuro. Não importa se é fazer um curso ou seguir uma certa carreira, você certamente tem um objetivo grandioso para si mesmo. Talvez seja expandir seu negócio ou pensar em uma nova forma de estratégia para o mercado. Não importa seu objetivo, você espera alcança-lo.
6 – Você gosta de jogos

Muitas pessoas inteligentes gostam de jogos porque existem coisas que precisam ser descobertas, desafios a serem superados. De preencher palavras cruzadas ou jogar cartas a jogos de tabuleiro ou alguns jogos eletrônicos, os preferidos pelas pessoas espertas são aqueles que requerem pensar e concentrar. “Quando você joga, você pensa, mesmo que você esteja cansado!”, diz Maggie.
7 – Já disseram que você é inteligente

Muitas pessoas inteligentes não gostam de pensar em si mesmas como inteligentes por uma certa rejeição social de admitir. Parece falta de humildade, mas você estará apenas deixando algo que é fato. Qual a melhor maneira de saber que você é inteligente? Pessoas já disseram isso para você. Inteligência chama a atenção, especialmente no trabalho ou salas de aula. Então largue a falsa modéstia e aproveite a vida sabendo que é mais inteligente do que você pensa!

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Como uma equipe é contagiada pelas emoções de seu líder

Reprodução
Cena do filme Invictus, em que o ator Matt Damon interpreta o jogador de rugby François Pienaar

Sempre que uma reunião ameaça se transformar em um mal-estar, o presidente da companhia, de repente, lança uma crítica a alguém na mesa que pode recebê-la (geralmente o diretor de marketing, que é o seu melhor amigo). Então ele rapidamente segue em frente, tendo atraído a atenção de todos na sala. Essa tática, invariavelmente, devolve o foco ao grupo.

Demonstrações de descontentamento do líder são emocionalmente contagiosas. E muitos líderes eficazes percebem que – como elogios – doses bem ajustadas de irritação podem energizar. Agora, uma questão importante: uma mensagem de desagrado bem calibrada é a que leva as pessoas ao seu máximo de desempenho e não promove aquela angústia que corrói a performance.

Nem todos os parceiros emocionais são iguais. Uma dinâmica poderosa que funciona no contágio emocional determina o cérebro de qual pessoa terá mais força para chamar o outro para sua órbita. Os neurônios-espelho são ferramentas de liderança: emoções fluem com força especial da pessoa mais socialmente dominante para a menos.

Uma razão para isso é que pessoas em qualquer grupo, naturalmente, prestam mais atenção e dão mais significado ao que a pessoa mais poderosa do grupo diz e faz. Isso amplia a força de qualquer que seja a mensagem emocional que o líder esteja mandando, transformando suas emoções em contagiosas. Uma vez ouvi o líder de uma pequena organização dizer com bastante pesar: “Quando minha mente está cheia de raiva, as outras pessoas pegam isso como gripe”.

Esse potencial emocional foi testado quando 56 líderes de equipes de trabalho simulado foram manipulados para estarem de bom ou mau humor, sendo avaliado o impacto emocional que conduziram nos grupos. Os membros da equipe com líderes otimistas relataram que eles coordenaram melhor seus trabalhos, fazendo mais com menos esforço. Por outro lado, as equipes com chefes mau humorados ficaram sem sincronia, tornando-se ineficientes. Para piorar, em pânico, seus esforços para agradar o líder levaram a más decisões e estratégias mal escolhidas.

Enquanto o desagrado milimetricamente formulado de um chefe pode ser um incentivo eficaz, inflamar as equipes é uma tática de liderança auto-destrutiva. Quando os líderes habitualmente utilizam demonstrações de mau humor para motivar, mais trabalho parece ser feito – mas não será, necessariamente, um trabalho melhor. Além de que o mau humor incansável corrói o clima emocional, sabotando a capacidade do cérebro de funcionar no seu melhor.

Nesse sentido, a liderança se resume a uma série de trocas sociais em que o líder pode dirigir as emoções da outra pessoa para um estado melhor ou pior. Em trocas de alta qualidade, os membros da equipe sentem a atenção e empatia do líder, apoio e positividade. Nas interações de baixa qualidade, ele se sente isolado e ameaçado.

Outro forte motivo para que os líderes sejam conscientes do que dizem para os funcionários: pessoas se recordam de interações negativas com um chefe com mais intensidade, com mais detalhes e mais frequentemente do que das positivas. A facilidade com que a desmotivação pode ser transmitida por um chefe torna ainda mais imperativo para ele agir de forma a tornar edificantes as emoções deixadas para trás.

A insensibilidade de um chefe não só aumenta o risco de perder boas pessoas, mas bombardeia a eficiência cognitiva. Um líder socialmente inteligente ajuda as pessoas a conterem e recuperarem-se de seu sofrimento emocional.

Para saber mais sobre os superlativos da comunicação no local de trabalho e resolução de conflitos, inscreva-se no curso American Management Association: Liderando com Inteligência Emocional (no local ou on-line durante todo o verão).

Texto publicado originalmente no canal do autor no LinkedIn e cedido gentilmente ao Administradores.com.

Post publicado no Portal Administradores por Daniel Goleman.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!