Aprenda apreciar a zona de desconforto

iStock

Existe uma tendência natural de nos acostumarmos com as situações cotidianas, costumes esses que se tornam hábitos e que acabam criando a tão conhecida zona de conforto, que pode ser entendida como uma série de comportamentos que adotamos por costume, algo que fazemos com frequência e tornamos uma rotina que nos traga conforto e segurança.

Um trecho do livro de Marina Colasanti, “Eu sei, mas não devia”, demonstra essa característica de nos acostumarmos com as situações e os impactos que isso nos traz:

“A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão”.

Convido você a fazer uma reflexão rápida nesse momento: Pense em sua vida quais áreas, circunstâncias ou aspectos que você esteja seguro ou confortável. Seja na saúde, nos estudos, na qualificação profissional, nos relacionamentos familiares, entre outros… Pensou?

Agora pense nessas situações, quais ou quantas dessas atividades ou ocasiões ultimamente têm gerado aquele “friozinho na barriga” antes de fazê-la, aquela dúvida e ansiedade ou até mesmo uma sensação de desconforto. Caso essas reações tenham sido pouco frequentes, provavelmente você esteja na zona de conforto em alguma dessas aéreas e pode estar deixando passar a oportunidade de melhorar ou viver algo antes nunca vivido.

Diante disso, devemos procurar com mais frequência nos aventurar na “zona do desconforto”, lugar no qual não estamos habituados, local esse que nos trará o novo, as possibilidades de melhorar o que até então pode até estar bom, mas poderia ser melhor.

Outra razão pela qual devemos buscar sair da zona de conforto, é de que de alguma maneira, seremos obrigados a sair um dia, por mais que resistamos, pois com as demandas de nossas vidas aumentando a melhoria contínua se tornou algo necessário para a sobrevivência.

Para mudar esse cenário, pequenas “doses” diárias de desafios, fazem uma grande diferença no longo prazo. Seja flexível, identifique seus limites e a partir do momento que os aceitar, veja o que pode fazer para ampliá-los, pois isso pode contribuir muito para o seu sucesso pessoal, depende somente de você!

“De vez em quando é preciso subir num galho perigoso, porque é lá que estão as frutas”. Will Rogers

Post publicado no Portal Administradores por Marcos Lima.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s