Sonhar sobre o futuro não fará você atingir seus objetivos

iStock

Todos já ouviram falar da lei da atração, popularizado por livros muitas vezes chamados de “autoajuda”. Se você quer algo forte o suficiente, ele virá. Mas isso é só uma parte do sonhar.

A escritora Lindsay Lavine, em um recente artigo para o Fast Company, fala sobre os ensinamentos da professora de Psicologia na Universidade de Nova York, Gabriele Oettingen, que estuda motivação humana há mais de 20 anos.

“Sonhar é importante”, diz Oettingen. “Sonhar é a maneira que temos de explorar futuras possibilidades. Para isso, sonhar é muito bom”, completa. O que atrapalha é quando esquecemos os obstáculos e as tentações que aparecem ao longo do caminho.

Para isso Gabriele quebrou o processo de não se iludir com sonhos e mudar seus hábitos para alcançar sonhos em 4 passos. O “WOOP”, sigla para Wish, Outcome, Obstacle e Plan (Desejo, Resultado, Obstáculo e Plano, em português) pode ser aplicado para todas as áreas da vida: de saúde ao trabalho, de relacionamentos à diversão.
1 – Identifique um desejo importante

Pergunte a si mesmo o que você deseja. Precisa ser algo desafiante, mas possível de alcançar em um determinado período de tempo. Por exemplo, se tornar mais confortável durante apresentações para um grande público.
2 – Pense no melhor resultado possível com seu objetivo

Mantendo-se no exemplo de falar em público, o resultado pode ser você passando a sua mensagem a um grande público e convencendo-os, ou então respondendo todas as dúvidas de forma maestral. “Deixe sua mente fluir e imagine como seria bom alcançar o seu objetivo”, sugere Oettingen.
3 – Identifique os obstáculos em seu caminho

Pergunte a si mesmo: O que está no meu caminho? Você só consegue controlar a forma que você age. Você não conseguirá mudar seu chefe ou controlar a maneira que a companhia reage. Seguindo o exemplo da oratória, você pode falar rápido demais quando está nervoso ou tem medo de esquecer o que você precisa falar.
4 – Crie um plano para superar as dificuldades

“Pense nas ações que você pode tomar ao encarar o problema e use a fórmula ‘se/então'”, diz Oettingen. Por exemplo, “se eu ficar nervoso, então me lembrarei de todas as apresentações bem sucedidas que já dei”, ou “se eu ficar com medo de esquecer os pontos principais, então passarei mais tempo preparando e memorizando-os”.

Para iniciar a adesão ao “WOOP”, é necessário tempo para focar. Pode ser durante o horário de almoço ou qualquer hora de pouco esforço mental. Você não pode pensar sobre esses 4 pontos enquanto responde e-mails ou está ajudando seus filhos com o dever de casa. Para entender melhor, visite o site de Oettingen.

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s