10 frases inspiradoras de Richard Branson

Divulgação

O empresário Richard Branson tinha 23 anos quando abriu seu primeiro estúdio, a gravadora Virgin Records. Hoje, aos 64 anos, é um dos donos do conglomerado Virgin Group, que possui mais de 400 empresas. O site Business Insider fez uma lista de frases, retiradas  em que o empresário dá conselhos e compartilha um pouco do que aprendeu em sua carreira. Nós separamos algumas, confira abaixo:

1. “Empreendedorismo é transformar o que te excita na vida em capital, para que você possa fazer mais do mesmo e seguir em frente com isso”. [Virgin, 2014]

2. “Um negócio é simplesmente uma ideia para tornar a vida de outras pessoas melhor”. [Inc., Abril de 2013]

3. “A qualidade da comunicação empresarial tem se tornado mais pobre nos últimos anos, a medida em que as pessoas evitam telefonemas e encontros, em uma busca equivocada por eficiência”. [Business Insider, Setembro de 2012]

4. “Se houver uma frase que é garantia pra me tirar do sério, é quando alguém me diz ‘OK, tudo bem. Você é o chefe!’. O que me irrita é que em 90% dos casos, o que essa pessoa está realmente dizendo é ‘OK, então, eu não concordo com você, mas eu vou fazer porque você está mandando. Mas se não der certo eu vou ser o primeiro a lembrar a todos que não era a minha ideia’”. [Business Insider, Setembro de 2012]

5. “Se você procurar o melhor em seus funcionários, eles vão florescer. Se você criticar ou procurar o pior, eles vão murchar. Todos nós precisamos ser regados”. [Esquire, Dezembro 2001]

6. “Precisamos de uma nova mentalidade para tornar o capitalismo uma força aceitável no mundo. Se as empresas se importarem apenas em lucrar e acumular bônus, ferrando pessoas e o mundo no processo, então não se sustentararão por muito tempo, e nem vão merecer. Mas se elas começarem a ser uma força para o bem, eu realmente acho que poderíamos superar a maioria dos problemas do mundo. E as pessoas se divertiriam muito. É apenas uma maneira tão satisfatória de fazer as coisas”. [Telegraph UK, Novembro de 2011]

7. “Eu sempre vi meus negócios não apenas como máquinas de fazer dinheiro, mas como aventuras que podem, espero, fazer pessoas melhorarem.” [Huffington Post, Maio de 2013]

8. “Uma ideia inovadora é algo que realmente se destaca: não é fácil começar uma empresa e sobreviver e prosperar no mundo moderno. Se você cria algo que é motivo de orgulho para todos que trabalham para você, então você sabe que está em um divisor de águas”. [Huffington Post, Maio de 2013]

9. “Eu sou curioso, adoro aprender coisas novas. Nós acabamos com umas 300 ou 400 empresas, mas nos tornamos uma marca de estilo de vida. As pessoas pensam que a Virgem – se souberem que a Virgin está entrando em uma nova área, elas sabem que a qualidade será boa, que nós faremos de uma forma divertida, que cobraremos bem. Então isso nos dá um vantagem quando entramos em um novo empreendimento. As pessoas já confiam, e nos dão uma chance, e parecem gostar do que encontram”. [NPR, Outubro de 2012]

10. “Isto pode soar óbvio, mas tem que ser dito: É preciso de uma força de trabalho engajada, motivada e comprometida para entregar um produto ou serviço de primeira classe e construir um empreendimento sustentável de sucesso”. [Business Insider, Setembro de 2012]

Para ver a lista completa, acesse o link (em inglês).

 

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

O que fazer para evitar a falta de dinheiro?

Geralmente uma doença é percebida através da dor ou inchaço, os sintomas mostram que existe uma doença. Podem até mostrar o local e o tipo de problema, mas o sintoma não é a doença. Muitas pessoas e empresas atacam o sintoma (o problema aparente), mas não a verdadeira causa da falta de dinheiro.

Exemplo: combater a febre em vez de combater a infecção ou combater a tosse em vez de combater a irritação. A febre e a tosse são mecanismos de defesa do organismo, é um aviso mostrando que existe uma anomalia em algum órgão do corpo.

A falta de dinheiro é o sintoma de uma doença chamada pobreza, cuja dor é sentida no bolso. É muito importante conceituar que a falta de dinheiro não é o problema, é o sintoma de que tem um problema. É um coadjuvante, como a dor: indica ter uma anomalia. Se examinar o local onde está dolorido pode descobrir a causa. ´

A pobreza é falta de: alimentação, vestuário, alojamento, renda, riqueza. É também exclusão social: falta de educação, falta de conhecimento. A causa da pobreza está na própria definição: “falta” receber alguma coisa do mundo. A verdadeira questão não é a falta dinheiro. A causa está no por que aparecem as “faltas”?

É muito comum pessoas com problemas de relacionamentos com pais, marido, mulher e familiares passarem na vida por grandes problemas financeiros. Por que: a) falta gratidão aos pais ou familiares; b) falta a generosidade (grandiosidade) para perdoar ou reconciliar; c) falta a harmonia ou seja falta equilíbrio na relação familiar.

A causa da falta de dinheiro são diversas “faltas” interiores: falta de gratidão, falta de generosidade, falta de educação, carência afetiva, falta de harmonia, falta de alegria, falta de esforço, etc, etc. Estas “faltas” interiores geram faltas exteriores na forma de falta de dinheiro, falta de emprego, falta de acesso à educação, etc.

A falta de gratidão é a primeira na lista das causas de insucessos que culminam com a falta de dinheiro. A primeira lei da prosperidade diz que é preciso agradecer as coisas que já recebeu: a começar pela vida, luz solar, água, calor, pelos alimentos, emprego atual, o primeiro emprego, etc.

A falta de generosidade significa mesquinhez, egoísmo. Falta a grandiosidade para compartilhar com outras pessoas. A atitude mesquinha (pequena) atrai pequeno crescimento profissional, pequena visão de negócio e pouco dinheiro.

A falta de harmonia é também uma das causadoras dos problemas financeiros. A desarmonia significa desunião, desequlíbrio, separação. Faz o dinheiro separar de você. Atrás dos problemas financeiros de uma família ou empresa está a verdadeira causa: intrigas, discódias, disputas, briga entre membros da família ou sócios.

A desarmonia é também falta de equilíbrio. O problema de caixa é desequilíbrio entre a receita e despesa. O problema não está na torneira da entrada e sim no ralo da saída. A falta de equilíbrio (“causa”) faz desperdiçar o dinheiro de forma compulsiva, adquirindo coisas desnecessárias (“meio”) para anestesiar a insatisfação interior.

A carência afetiva também pode levar à carência financeira. Isto acontece devido a lei da atração dos semelhantes. Semelhança não é igualdade. A existência de uma carência (causa) ao encontrar uma condição ou fator desencadeante faz aparecer uma carência material.

Um astronauta vê a Terra iluminada, mas se olhar do lado oposto só vê a escuridão total. Os raios solares só se transformam em luz quando encontra um “meio”. Da mesma forma uma “causa” só aparece visível quando encontra um “meio”, muito tempo depois, dificultando a sua identificação.

A forma de evitar a pobreza é cultivar uma mente rica de gratidão, harmonia e generosidade. Ter hábitos que combinam com as riquezas tais como gostar de locais ou coisas limpas, bonitas, organizadas e alegres. Não dar oportunidade para que a “causa” encontre um “meio” para evitar que apareça a falta de dinheiro.

 

Post publicado no Portal Administradores por Orlando Norio.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

12 frases de comediantes que vão inspirar você

Stephen Lovekin/Getty Images for Tribeca Film Festival
Tina Fey (esquerda) e Amy Poehler, em 2008

Às vezes, as melhores fontes de inspiração são as mais inusitadas. Os comediantes, por exemplo, são conhecidos por fazerem as pessoas rirem. Mas eles também são capazes de fazer refletir e motivar.

O Mashable reuniu 12 frases de comediantes que vão ajudar você a se inspirar quando tudo parecer errado:

1 – “Seja muito bom, que eles não vão ter como ignorar você”

Steve Martin

2 – “O melhor de correr grandes riscos quando se é novo é que você tem menos a perder e você não tem experiência. Então, você se arrisca mais”

Amy Poehler

3 – “Sempre que deixa falhas para trás, você está indo bem. Se você acha que tudo que já fez é bom, você provavelmente é idiota”

Louis C.K.

4 – “Não seja outra pessoa só porque alguém quer ou porque é mais fácil. Você não será feliz. Você precisa fazer algo que você gosta muito, muito, muito mesmo, por mais que assuste”

Kristen Wiig

5 – “Trabalhe duro, seja gentil e coisas maravilhosas acontecerão com você.”

Conan O’Brien

6 – “Eu sempre estive no lugar certo, na hora certa. Claro, eu me guiava até lá.”

Bob Hope

7 – “Ame o que você faz. Seja bom nisso. Competência é algo raro hoje em dia. Assim, as coisas acontecerão sem preocupar você, como deve ser.”

Jon Stewart

8 – “Para ser bem sucedido, o desejo pelo sucesso deve ser maior que o medo de falhar.”

Bill Cosby

9 – “Você não pode ser aquela criança indecisa em cima do escorregador, sempre pensando demais. Você precisa pular de cabeça.”

Tina Fey

10 – “Eu realmente acho que é melhor falhar em algo que você ama do que ser bem sucedido em algo que você odeia.”

George Burns

11 – “A maioria das pessoas trabalham somente o suficiente para não serem demitidas e para receberem o suficiente para não se demitirem.”

George Carlin

12 – “Você precisa trazer para o mundo algo que não estava nele antes. Não importa o que é, todas as pessoas deveriam criar. Você precisa fazer algo e poder sentar e dizer: ‘Eu fiz isso’.”

Ricky Gervais

 

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Educando filhos para empreender

Eu e minha esposa Cristiana, procuramos dedicar parte do nosso tempo para mostrar como funcionam as coisas no mundo real para nossos 3 filhos: Theo de 15 anos, o Davi de 13 anos e a Maria de 10 anos. Desde muito pequenos, eles conhecem e participam de alguma forma das discussões e projetos familiares, desde a programação de uma simples viagem até os rumos dos negócios que estamos envolvidos (perdendo ou ganhando).

Claro que na nossa “roda gigante da vida”, procuramos sempre equilibrar um pouco a forma de conversar para não gerar impactos psicológicos negativos, mas eles sabem os porquês de atitudes A ou B tomadas e ou os reflexos disso.

Alguns amigos me criticam por envolvê-los em assuntos que não são para a idade deles ainda, mas costumo dizer que estou preparando os meus filhos para a vida.

Outro dia li um artigo do meu amigo Pierre Schurmann que mostrava um arrependimento de um Pai aos 70 anos com a educação que deu aos seus filhos. Ele disse que quando chegou aos 60 anos, decidiu que era hora dos filhos assumirem os negócios da família. Naquele momento, teve uma triste surpresa em ver que nenhum dos três filhos ainda estavam preparados para a função. “A cada desafio que enfrentavam, parecia que iam desmoronar emocionalmente”. Enfim, este senhor teve que voltar à frente dos negócios, até conseguir contratar um executivo para Diretoria Geral. Ele conta ainda que desde quando os seus filhos eram pequenos, dava tudo para eles: Uma educação excelente, oportunidade de morar no exterior, estágio em empresas de amigos. Mas ao tentar protegê-los dando o que precisavam, esquecia ao mesmo tempo, de mostrar as grandes dificuldades da vida e ensinar que, o que seremos no futuro, será o resultado de nossos desafios enfrentados e o aprendizado prático ao longo da vida.

Exatamente por isso, procuro educar meus filhos para serem Empreendedores. Não estou falando apenas de “negócios” ou sucessão familiar, estou falando de COMPORTAMENTO. É claro que alguns comportamentos são condicionados e podem ser modificados, mas estamos dando a atenção para as personalidades e características de cada um deles. É difícil afirmar que todos os meus 3 filhos terão negócios próprios ou similares aos nossos no futuro, mas tenho certeza de que eles estarão bem preparados e fortes psicologicamente para enfrentar a competição no novo mundo.

A verdade é que por experiência própria, posso afirmar que ter um comportamento Empreendedor pode fazer uma enorme diferença entre o sucesso e o fracasso; Seja nos negócios, na carreira profissional, nos relacionamentos pessoais ou em qualquer situação na vida. O que quero alertar é para a importância do modo Empreendedor de enxergar as barreiras, de encarar os riscos e os problemas da vida. 

Infelizmente a educação básica escolar, na sua maioria, perde muito tempo em condiciona-los a “decorar” coisas que NÃO serão relevantes para a formação profissional, ou seja, não aprendem matérias específicas para serem bem sucedidos na jornada da vida. Mas atenção, não estou orientando ninguém a tirar seu filho da escola tradicional ou da educação básica, estou falando em mudança de orientação familiar, de inclusão de novas matérias na grade curricular, do ensino complementar e até na preocupação com a condição comportamental. Meus filhos cresceram e agora? O que eles vão fazer da vida? Como posso ajudar meus filhos a serem felizes profissionalmente?

O que estou querendo afirmar é que os alunos da educação tradicional são condicionados a estudar e estudar, seja para concursos, para as áreas de Direito, Medicina, Engenharia e etc. OK isso é muito importante e não estou questionando a conclusão e o diploma universitário, mas nem todas as pessoas nasceram para serem advogados ou médicos ou terem jornada de trabalho pré-definidas, ou seja, também podemos educá-los e prepará-los para serem empresários, profissionais liberais ou empreendedores da Economia Criativa. Por que não? Eu faço muita Palestra em evento Estudantil e percebo, por exemplo, universitários do curso de Administração, sendo preparados para administrarem somente as coisas dos outros e não as suas próprias, o que em minha opinião, é um equivoco. Os cursos de MBA, com algumas exceções, incentivam a trabalhar (estagio, trainee) em corporações e não na condução dos seus negócios. Enfim, precisamos inserir rapidamente no Brasil, o Empreendedorismo em toda a cadeia de ensino.

Pois bem, enquanto isso, em casa, eu procuro fazer o meu dever de aplicar meus conhecimentos, experiências e aprendizados Empreendedores no sentido de dar exemplo aos meus filhos. Entre as muitas lições e coisas que faço em casa, temos o hábito de NÃO dar MESADA, por exemplo. Desde pequeno quero acostuma-los a não ter “nada garantido”; Mesadas ensinam às crianças coisas interessantes como organização, controle e disciplina, mas por outro lado, condicionam e passam uma sensação equivocada de segurança, de ter um fixo garantido. Não quero meus filhos focados em “empregos”, os quero pensando em “trabalho”, o que é bem diferente. Pode ser que eles não consigam empregos formais daqui a 5 anos, então tenho que prepara-los hoje e agora para isso. O que eu faço em relação a dinheiro: Dou o suficiente para o lanche na escola e negocio cada momento e a cada necessidade. Procuro promover e nutrir valores como: conquista, competição, realização, gratidão, humildade, resiliência, tenacidade, liderança, interdependência.

É claro que não foi só pelo fator “mesada” que meus filhos já se tornaram empreendedores muito cedo, mas por todo o contexto familiar. A Maria Braga, de 10 anos já produz CupCakes desde os 8 anos e agora acabou de lançar seu canal no YouTube para ensinar outras garotas a fazerem doces também; O Davi Braga de 13 anos, como ele mesmo diz, já está no seu terceiro negócio e agora é fundador de uma StartUp, chamada de List-IT, de lista de material Escolar; O mais velho de 15 anos, o Theo Braga é um negociador nato (compra e vende muito bem), design gráfico e Youtuber. Eles estudam normalmente? Tiram notas boas? Tem tempo para brincar? Se relacionar? SIM a resposta é um grande SIM. Talvez por esta minha afirmação, a outra pergunta recorrente que me fazem sobre a educação que dou a eles é: Tem como ensinar meu filho a Empreender? Minha resposta é: CLARO. Mude o seu comportamento, Mude a perspectiva, converse sobre trabalho, sobre outros assuntos e os percalços e desafios da vida, dê o exemplo dentro e fora de casa para que eles comecem a ter outra visão, tenham um propósito, orgulho de alguma coisa, que procurem ser pelo menos, melhor do que você foi ou é e, saber que tudo lá “no futuro não tão distante” só vai depender deles, não mais de você, Pai ou Mãe.

Para não ficar muito longo esse artigo, quero concluir voltando a citar o exemplo do senhor de 70 anos que mencionei acima. Ele relembra o ditado popular antigo que “Temos que matar um Leão por dia”. Ele diz que por muitos anos acreditou nisso, que acordava todos os dias, preparado para encontrar e brigar com o “tal do Leão”. A vida foi passando e hoje ele conclui sabiamente que NÃO devemos “Matar o Leão” e SIM “Cuidar dele”. Sabe por quê? Ele mesmo explica: “Com grandes desafios, nos tornamos grandes. Com pequenos desafios, nos tornamos pequenos. Aprendi que, quanto mais bravo o leão for, mais gratos temos de ser. Por isso, aprendi a não só respeitar o leão, mas a admirá-lo e a gostar dele.”. Resumindo: Aprenda com seus Pais, a vida não ensina as coisas tão carinhosamente.

Eduque seus filhos para Empreender e a controlar os leões que vão enfrentar pela vida e claro, a “desviar das Antas” também.

 

Post publicado no Portal Administradores por João Kepler.

Um texto muito rico de informação, que o João Kepler escreveu e eu recomendo muito a leitura.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Saber ouvir: Uma habilidade indispensável num líder

Você pode achar que não, mas existe uma habilidade que todo líder deve ter, sendo ainda mais importante que o talento, discernimento ou carisma: a habilidade de ouvir. Essa característica abrange a capacidade de evitar em fazer pressupostos do que será dito, disposição de parar, limpar a mente e deixa-la aberta para novos pensamentos e ideias, ouvir com atenção. Para os que assumem uma posição de liderança, saber ouvir é um desafio. Isto porque os líderes focam em resultados, e geralmente são impacientes, não muito dispostos a ouvir. Mas para os que contemplam essa característica podem obter alguns benefícios.

Primeiro, saber ouvir gera relacionamentos. É uma necessidade das pessoas que outros as escutem, e se o líder for um bom ouvinte, ele gera um relacionamento significativo e de confiança, permitindo que as pessoas sempre o procurem, possibilitando que as influenciem. Como diz Carnegie, “você pode fazer mais amigos em duas semanas tornando-se um bom ouvinte do que em dois anos tentando fazer com que os outros se interessem por você”.

 Segundo, ouvir é a melhor forma de aumentar o conhecimento. Alguns líderes acreditam que, por estarem numa posição elevada, sabem de tudo e que não precisam ouvir nada e nem ninguém. É verdade que quanto mais se sobe menos se exige que escute os outros, mas sua necessidade de ouvir aumenta. Por estar distante da linha de frente, o líder depende dos outros para conseguir as informações de que necessita, e só vai conseguir isso se for um bom ouvinte.

Terceiro, os problemas podem aumentar se não souber ouvir. Segundo Maxwell (2011), um líder eficaz deixa que os outros falem o que ele precisa ouvir, e não apenas o que gostaria de ouvir. Deixar a vaidade e o orgulho de lado possibilita que o líder fique atento ao que lhe é dito, permitindo que os seus olhos se abram para problemas que antes não os via. Para isso é necessário estabelecer uma comunicação honesta com as pessoas e não agir na defensiva.

Por fim, ouvir atentamente é o melhor para o bem comum. Isso envolve deixar a mente aberta para novas ideias e conceitos, ceder a estes para o bem comum da equipe, mesmo que estejam indo de encontro com seus próprios conceitos. Para Posner (2013) o líder que age dessa forma tem uma percepção das necessidades e desejos das pessoas, o que elas valorizam e com que sonham. Ouvir desse jeito melhora o clima organizacional, cria um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

 

Post publicado no Portal Administradores por Alessandro Pereira.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

10 características essenciais para um empreendedor

Reprodução/Thinkstock
É preciso amar cada pedaço do seu negócio, incluindo a falta de resultados do começo e a resistência natural da vida

Se, enquanto era assalariado, você já se pegou pensando que as horas trabalhadas para seu chefe valeriam muito mais se fossem dedicadas a um negócio seu, você realmente tem alma de empreendedor. Agora que resolveu apostar em seu sonhos, as dificuldades começam a aparecer e você percebe que ser seu próprio chefe dá muito mais trabalho. E aí surge a necessidade de tomar mais uma decisão: continuar lutando ou voltar e procurar emprego?

Dependendo do que decidir com relação à questão do parágrafo anterior, ou você será mais um corajoso disposto a enfrentar a incerteza ou engrossará as fileiras dos que voltaram no meio do caminho. Para ajudar nessa decisão, elencamos aqui algumas das principais características do empreendedor de sucesso, para que você tente identificá-las em si ou busque desenvolvê-las.

De antemão, deixamos logo uma dica: simplesmente querer ser seu próprio chefe não basta. Empreender exige habilidades do empreendedor que vão além de saber liderar ou ter noções nas áreas de finanças e negócios.

De acordo com uma pesquisa conduzida pelo psicólogo da Universidade de Harvard, David McClelland, as pessoas que atingem o sucesso no ramo empresarial têm perfis semelhantes. O perfil do empreendedor necessário por cada tipo de negócio pode variar em alguns aspectos, mas há características que são indiscutíveis.

Abaixo listamos algumas características que consideramos indispensáveis para que você se consolide como um empreendedor de sucesso. Confira:

Amar o que faz

No mundo do empreendedorismo há dias difíceis, onde o amor por aquele universo faz a diferença. É preciso amar cada pedaço do seu negócio, incluindo a falta de resultados do começo e a resistência natural da vida.

Ter espírito de liderança

Depois do amor pelo negócio e por empreender, a característica primordial deve ser o desejo de conduzir e saber desempenhar esse papel corretamente. Um empreendedor que não pensa no momento de orientar, delegar tarefas ou guiar sua equipe irá, eventualmente, falhar com seu negócio.

Ser “automotivador”

O líder precisa ser a motivação de uma equipe. Se você não consegue motivar a si mesmo a sair da cama para mais um dia de trabalho, dificilmente vai conseguir que seus funcionários deem seu máximo em busca de resultados.

Saber lidar internamente com seus defeitos e falhas

No livro “A Bíblia do Empreendedor”, Melinda F. Emerson fala que os empreendedores “nem sempre são bons ouvintes, tampouco estão abertos a receber orientação”. Saber quais são seus defeitos e lidar internamente com eles é uma tarefa árdua, mas necessária para não descontar suas frustrações na equipe.

Ter bom comando das habilidades sociais

Quando no comando de uma organização, é preciso saber lidar com pessoas dos mais diversos perfis e personalidades. Saber tratar cada um deles com a atenção que demandam, sem prejudicar seu negócio ou sua imagem, o torna um bom empreendedor.

Ser persistente

Persistir nos piores dias do seu negócio, quando não há sinal de bonança por perto, é essencial. Isso significa que é preciso saber que, por pior que seja a realidade, o futuro pode trazer coisas surpreendentes e acreditar no seu potencial e na sua ideia.

Planejar

Empreendedorismo não pode ser feito ao acaso. Abrir um negócio, investir dinheiro e contratar colaboradores é um jogo de apostas altas. Por isso, é preciso que haja um plano de negócios bem delineado por trás de todas as ações. Nenhuma ideia se concretiza com sucesso sem ter passado pela “fase do papel”.

Desejar o conhecimento

Para alcançar o sucesso, é preciso estar sempre à frente da concorrência. Para isso, é necessário haver um desejo genuíno de se informar, se atualizar e conhecer cada vez mais as peculiaridades da sua área de atuação.

Ser autoconfiante

O ego em demasia não é bom, porém cultivar a autoconfiança é imprescindível. É necessário confiar para tomar decisões e guiar uma equipe pelo caminho que você acredita ser o melhor.

Acreditar que sempre pode melhorar

Ao mesmo tempo em que se deve confiar que suas decisões são as melhores, há sempre a necessidade de se empurrar aos limites. Não é porque se está fazendo um bom trabalho naquele momento que este não pode ficar ainda melhor. É fundamental acreditar até o fim da vida que a grande obra da sua vida ainda está por ser feita.

Conteúdo Administradores.com produzido com exclusividade para o meuSucesso.com

 

Post publicado no Administradores.com, para o meuSucesso.com

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Algumas dicas que vão ajudar você a estar preparado para tudo

Thinkstock

Existem várias maneiras de se preparar para o que pode vir no seu caminho, seja um projeto de trabalho difícil, uma crise, a perda de alguém amado, uma discussão com seu companheiro ou o apocalipse zumbi. Uma maneira é deixar tudo pronto para qualquer coisa que possa vir: pegue seu equipamento de sobrevivência, prepare suas habilidades, planeje seus projetos de trabalho, coloque seus assuntos em ordem, reflita durante suas discussões e assim vai.

O problema disso é que você não sabe o que está vindo. E então passará o resto da vida se preparando para várias coisas, sem estar realmente pronto. Quem quer passar o resto da vida se preparando (sem saber para quê)?

Outra maneira de se preparar é aprendendo algumas habilidades que deixarão você pronto para qualquer coisa que possa vir. Esse é o kit de sobrevivência da vida.

Primeiro, a filosofia: você não pode se preparar para cada detalhe de cada possível coisa em seu futuro, por que o futuro é incerto. Em vez disso, perceba que os eventos externos são apenas detalhes. Você deve se preparar de verdade para o que acontece dentro de você. E é basicamente a mesma coisa. Então, nós vamos aprender algumas habilidades de sobrevivência que nos ajudarão a lidar com qualquer coisa que o futuro guarde.

Segundo, um pouco de preparação antes de preparar: Eu tenho percebido que enquanto os detalhes externos não são tão importantes quanto o que você faz internamente, ainda é ideal que você tenha sua casa o mais arrumada possível. Isso significa organizar suas finanças – pague suas dívidas, ou ao menos as liste com um plano para pagá-las o quanto antes; tenha um fundo de emergência; gaste menos do que você ganha; invista o máximo que puder. Isso implica simplificar suas posses e seu tempo. Coloque sua saúde em ordem – foque-se em comer mais alimentos integrais e menos comida processada; exercite-se. Depois de fazer essas coisas, o resto da vida é muito, muito mais fácil.

O kit de sobrevivência

Se você aprender essas coisas, estará pronto para qualquer coisa – desde trabalho e eventos pessoais a crises de todos os tipos, grandes perdas e mudanças de vida.

1. Consciência. Essa é a base – sem praticar a consciência, você não será capaz de desempenhar suas outras habilidades o bastante para serem úteis. Você pode praticar a consciência simplesmente meditando – foque-se na sua respiração por alguns minutos toda manhã, para começar. Quando você melhora a consciência, percebe mais facilmente o que está acontecendo dentro de você enquanto eventos externos ocorrem. Por exemplo, se alguém grita com você, você pode ter consciência do seu corpo naquele momento e perceber o aceleramento do batimento cardíaco, o pânico em seu peito, o rubor no seu rosto, ou algo assim. Ter consciência das respostas do seu corpo o alerta para o que pode estar acontecendo em sua mente.

2. Observe sua resposta interna. Quando você começa a notar como sua mente responde a eventos externos, você pode começar a guiar sua resposta. Por exemplo, se você recebe um grande projeto no último minuto, você pode notar sua respiração ficando mais superficial e o seu peito apertando, ou seu queixo contraindo. Você pode ver que isso o está deixando muito ansioso, talvez ressentido, por ser pedido pra fazer isso com um tempo tão curto. Você pode examinar essas respostas – ansiedade, ressentimento – e decidir como agir, em vez de ser controlada por elas.

3. Veja a quê você está apegado. Quando você tem um sentimento complicado, como ansiedade, ressentimento, raiva, medo (incluindo procrastinação), algo a quê você está apegado está causando isso. Pode ser difícil de perceber isso no começo, mas com prática você pode ver em um instante. Se você está com raiva ou ressentido, há uma situação ideal que você gostaria e a qual está apegado, que não bate com a realidade. Por exemplo, talvez alguém disse algo que lhe machucou. Você pode estar com raiva por que, idealmente, aquela pessoa não deveria ter tratado você daquela maneira. Não importa se você está certo ou não – se você quer que as coisas sejam diferentes da realidade, você ficará com raiva ou ressentido ou frustrado. Perceber a quê você está se apegando é um passo importante.

4. Esqueça. É impossível não se segurar a certos ideais, mas, se você vir que o ideal está causando dor, tenha compaixão consigo e esqueça-se do ideal. Claro, as pessoas deveriam lhe tratar bem, mas esse é um ideal que nem sempre será verdade. Esquecer os ideais significa abraçar a realidade em que as pessoas terão diferentes comportamentos, e isso é parte da vida. Humanos nem sempre agem idealmente. Precisamos aceitar isso, e não forçar o idealismo na realidade.

5. Reaja apropriadamente. Aceitar a realidade não significa ficar inerte. Significa esquecer os ideais que estão causando sentimentos dolorosos, e então descobrir como reagir sem raiva, frustração, ansiedade, ressentimento. Reagir a uma pessoa ou situação com raiva ou ressentimento, por exemplo, nem sempre resulta numa reação hábil. Quando meu filho quebra um prato, por exemplo, eu posso acabar com raiva (“Ele não deveria quebrar pratos!”) e gritar, sem habilidade, ou eu posso esquecer esse ideal e a raiva resultante, e ver se ele está bem, e então calmamente e compassivamente falar sobre como evitar aquilo no futuro. Essa é uma resposta mais apropriada. Quando reagimos com raiva ou frustração, apenas complicamos o problema. Reagir calmamente e compassivamente significa que seremos capazes de lidar com qualquer coisa que estiver na nossa frente, seja uma crise, ou uma perda, ou alguém querido com raiva.

6. Fique no momento. Nós tornamos situações piores quando repassamos o passado nas nossas cabeças (“Como eles puderam fazer aquilo?”) ou pensamos em todas as coisas que podem dar errado no futuro. No presente, as coisas estão bem. Nós podemos encarar o momento presente com calma e compaixão, se ficarmos no presente. Isso significa ter consciência de quando nossa mente está presa no passado ou especulando o futuro, e voltando ao presente o máximo que pudermos.

7. Fique grato e aceite o momento como ele é. A realidade pode ser uma droga, se quisermos que seja diferente, ou nós podemos aceitar a realidade como ela é, e agradecer por isso. Isso leva prática, por que é difícil ficar grato quando você sente que está sendo tratado mal, ou quando você perde um emprego, ou perde alguém querido, ou quando está lutando contra uma doença. Mas essa é a realidade que você tem e não o ideal que você queria ter. E é uma realidade que possui beleza, se escolhermos vê-la. Essa habilidade nos deixa muito mais em paz com qualquer coisa que precisemos lidar.

Pode parecer simples demais dizer que esse kit de sobrevivência para lidar com a vida nos deixará preparados para qualquer situação. E é. Mas não há nada de errado em simplificar as coisas, nem que seja apenas para nos ajudar a focar no que é mais importante.

Em minha experiência, essas habilidades importam. Elas fazem uma grande diferença. Pratique-as, e veja como você estará capaz de lidar com a vida de uma maneira inteiramente nova.

Artigo originalmente publicado no Zenhabits e cedido gentilmente ao Administradores.com.

 

Post publicado no Portal Administradores por Leo Babauta.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!