Descubra a eficácia de uma gestão por processos

 

O objetivo principal de uma empresa, independentemente do seu porte ou setor, é oferecer produtos ou serviços que atendam as necessidades e expectativas dos seus clientes e de suas partes interessadas. Para que um negócio possa lucrar e tornar-se sólido e sustentável, é preciso que esteja estruturado por processos – principais e de apoio. Estes devem estar documentados e padronizados por meio de políticas, procedimentos, rotinas e normas. Além disso, devem ser compartilhados e aprendidos por todos os colaboradores.



De acordo com o Modelo de Excelência da Gestão, os processos são constituídos pelo conjunto de atividades inter-relacionadas ou interativas que transformam insumos (entradas) em produtos (saídas). Podem ser definidos também como conjuntos de atividades que, executadas em uma sequência determinada, conduzem uma empresa a um determinado resultado. A forma com que os processos são executados fazem toda a diferença: as empresas que inovam nessa área costumam sair na frente em relação à concorrência.



Existem quatro divisões essenciais: os processos principais da empresa, os processos de apoio, o relacionamento com os fornecedores e a gestão das finanças. O correto funcionamento de todos esses processos garante o desempenho da sua empresa, além de promover melhorias e inovações.


Em um primeiro momento, é importante executar os processos principais de forma padronizada e documentada. Também é fundamental controlar esses processos para garantir a satisfação das necessidades dos clientes. Esse domínio dos processos pode ser realizado de diversas formas, como a inclusão de indicadores em que os resultados são comparados com as metas previamente estabelecidas. Quando um processo não acontece da forma correta, devem ser tomadas ações para corrigir o problema.



No que se refere aos fornecedores, é preciso selecioná-los e avaliá-los de acordo com critérios definidos. Essa tarefa é importante para garantir a qualidade dos serviços prestados e dos produtos fornecidos aos clientes.  Os mesmos critérios ajudam na avaliação de desempenho, conforme as entregas acontecem. É possível definir como critérios de escolha: preço justo, cumprimento de prazos de entrega e qualidade do material, entre outros.



Os processos relacionados ao controle das finanças também são essenciais. A realização de um orçamento tem como objetivo fazer uma previsão dos gastos, ganhos e investimentos necessários para que os recursos sejam disponibilizados corretamente, resultando na realização dos processos principais dos negócios. A gestão correta assegura a continuidade e sustentabilidade da empresa, assegurando os recursos financeiros necessários ao funcionamento correto do negócio.

 

Post publicado no Portal Administradores pelo Jairo Martins.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Por que o futuro é tão importante?

Expressões como “O futuro a Deus pertence” e “No longo prazo, todos estaremos mortos” (esta última, do economista John Maynard Keynes) têm lugar garantido na agenda romântica de justificativas da grande parcela da população que não gerencia seus recursos financeiros, morais e profissionais.

No entanto (e ainda bem), muitos observam o futuro como uma consequência do presente. O futuro ainda não existe, é fato. Mas existirá – se hoje criarmos condições para tal. Simplificando, o amanhã pode não existir, é futuro, incerto. Mas, se ele acontecer, precisaremos ter saldo suficiente para pagar aquela bendita fatura.

Ok, não é tão simples. Se o problema fosse apenas nossa visão de futuro, talvez as oportunidades de mudança fossem mais nítidas. Há a questão cultural, carregada com o peso de anos de instabilidade econômica, política e social. Porque, sim, por muito tempo fomos manipulados, sendo obrigados a viver sob regimes autoritários e com pífia administração para o longo prazo. A inflação, por exemplo, arruinava qualquer desejo de planejamento.

Futuro é tempo. E para o dinheiro tempo é tudo! Enxergar o futuro quando estamos endividados é horrível. Dói. E, ao optarmos por não pagarmos o que devemos, a dívida cresce – muitas vezes de forma incrivelmente rápida. Ao final de poucos meses nos veremos diante de quantias inacreditáveis. Só então nos daremos conta de que o futuro existe. Ele então será o presente, muito presente.

Não pretendo convencê-lo de que o futuro só será melhor se você se planejar. Prefiro apenas que você se questione acerca dos dias e anos que virão e suas aspirações e motivações para mudar o presente de alguma forma.

Tudo porque esses dias alguém me perguntou: “Por que o futuro é tão importante?”. Ora, a resposta é óbvia: porque ele chega.

 

Post publicado no Portal Administradores pelo Conrado Navarro.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!