17 atitudes que impedem o profissional de se tornar um líder

Shutterstock
“Há atitudes clássicas que podem afetar a vida profissional e impossibilitar um almejado cargo de chefia”
 

Muitas pessoas não entendem o motivo pelo qual, apesar de todos os esforços, não são vistas como líderes. Segundo Henri Fernandes Cardim, consultor de negócios especialista em coaching e executivo à frente da HFC Consultoria & Treinamento, há atitudes clássicas que podem afetar a vida profissional e impossibilitar um almejado cargo de chefia.

Veja abaixo os 17 erros mais comuns:

1 – Postura de escravo: ter atitude passiva, acreditando que apenas quando for promovido precisará mudar.

2 – Puxa saco: pensar que será promovido por rir das piadas do chefe é um erro.

3 – Conhecimento pífio: não estudar e não se atualizar, mas imaginar que ninguém nota.

4 – Medo de errar: o medo de decidir é falha grave.

5 – Pai e chefe: Confundir chefe com pai.

6 – O príncipe: achar que tem o direito à vaga apenas por ser herdeiro ou por se sentir especial.

7- Infantilidade: postura imatura em reuniões acaba com boas oportunidades.

8 – Menosprezar projetos pequenos: fazer com desdém por achar fácil, esquecendo que, independente do tamanho, o que se mede é empenho e resultado.

9 – Falta de foco: Trabalhar apenas por dinheiro, sem visão de carreira de médio e longo prazo;

10 – Previsível: entregar apenas o que é solicitado, sem superar as expectativas do superior imediato;

11 – Pata ou galinha: exercer o marketing pessoal de maneira equivocada. Botar ovo pequeno (galinha) e fazer escândalo, ou botar ovo grande (pata) e ficar quieto.

12 – Salto alto: logo após assumir a posição, deixa a humildade de lado e passa a ser o carrasco.

13 – Sabe tudo: Ter o impulso de responder tudo imediatamente, acreditando que esperam dele respostas rápidas apenas.

14 – Largar: abandona a tarefa e não acompanha, assim tenta se isentar da eventual falha.

15 – Indisciplina: acreditar que por se tornar líder pode ser ou continuar sem disciplina;

16 – Guardar tudo na cabeça: dispensar uso de agenda por acreditar que tem memória fotográfica ou não saber usá-la.

17 – Inflexível: acreditar que por ser chefe não é necessário ser flexível e negociar com a equipe.

 

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

#SouGV…

#SouGV

Treinar a sua mente para adquirir os hábitos dos campeões é um dos segredos do sucesso.” Perfeito! E mesmo que digamos: ‘Está certo, isso aí, uhuuul’, sabemos o quanto isso é difícil. De vez em quando desanimamos e não é pouco; mas precisamos de força. Precisamos comandar nossos pensamentos. A maior luta que enfrentamos durante toda a vida não é com nosso chefe, não é com nossos pais, não é com nossos cônjuges, é com a nossa própria mente.

Karoline Melo Fontes

Mais uma geração de valor desperdiçada

Não pude deixar de me emocionar. Cada pessoa que aparece neste vídeo, sem exceção, é um GV. Meninos e meninas de grande potencial que poderiam sonhar grande e realizar seus sonhos de forma ainda maior. No entanto, são sabotados pelo país que tem a 8ª maior economia do mundo, onde não falta dinheiro, mas que os mantém reféns de serviços públicos abaixo da linha da dignidade.

As mesmas pessoas, nascendo num lugar que leva a educação a sério, teriam um destino diferente. Esta reportagem do Fantástico de hoje é um flagrante imparcial, com dados oficiais sem maquiagens, da realidade de grande parte das escolas públicas brasileiras. Não pude evitar de imaginar meu filho frequentando escolas como essas. Imagine o seu!

Muito triste e inaceitável que isso exista no Brasil. Agora, experimente abrir uma escola particular. O mesmo governo que age com esse descaso vai lhe impor um padrão que ele próprio não cumpre nem de perto. A quem interessa manter o povo nesse nível degradante de autoestima?

Ao mostrar essa reportagem para amigos estrangeiros, eles não vão acreditar nisso, não vão compreender como isso pode acontecer. Ao mesmo tempo em que a população é tratada com tanto descaso, ela se mantém submissa.

No final da reportagem, de repente, muitas cadeiras aparecem e, segundo um cara de pau de quem não me lembro o nome, mais de 90% dos problemas que existem há anos foram resolvidos enquanto a reportagem estava sendo editada. Será que ele tem tanta certeza assim de que aqui do outro lado só há gente que não pensa?

Agora, faz uma pesquisa com as mesmas pessoas que são desprezadas diariamente por esses serviços públicos e pergunta em quem elas vão votar em outubro. A resposta nós já sabemos…

 

Post publicado no blog Geração de Valor pelo Flávio Augusto.

 

Vídeo muito chocante, mais infelizmente é esse o retrato da maioria das nossas escolas.

Um País onde a maioria dos políticos estão tão pouco se lixando para o bem está da população. Só lembram do povão quando é época de eleições e depois passam mais quatro anos invisíveis.

“Pense bem na hora de votar”

 

#SouGV

Deixe o seu comentário aqui embaixo!