Ciclos para o sucesso

Ciclos para o sucesso

Diariamente enfrentamos dificuldades de toda ordem, não é mesmo? Temos, entre outras, as necessidades física, mental e espiritual. Geralmente, diante do obstáculo a vida coloca, em nosso caminho, alguém disposto a ajudar, certo? É como se fosse um trabalho temporário; assim que executado, o personagem retira-se do cenário. Penso que é assim que se dá a relação do ser humano na interação com as pessoas que entram e saem repentinamente de sua vida. Chamo este movimento de ciclo da razão.

Racionalmente quem recebe ajuda consegue superar o que parece impossível. A solução, às vezes, em conta-gotas, serve de bússola para uma escolha equilibrada. Pense nisso, quantas pessoas você já conheceu e como num passe de mágica desapareceram? Às vezes, lembramo-nos delas, outras vezes nem sequer temos tempo de agradecer o bem que realizaram, não é? A saída daquela pessoa da nossa vida sinaliza que a lição foi aprendida, portanto, outro ciclo começa. Chamo de ciclo merecedor. É quando a pessoa inicia o convívio com a finalidade de aprender, crescer e dividir. Quando recebemos o benefício da aprendizagem, identificamos o valor desse conhecimento adquirido pela presença daquele ser que entrou na nossa vida. Isso faz crescer, inconscientemente, a vontade irresistível de dividirmos com que precisa. Quando estivermos evoluídos a ponto de auxiliar, é sinal claro que saímos de uma ignorância específica, seja ela emocional, seja financeira ou psicológica.

Lembre-se de que sempre haverá alguém mais desenvolvido do que você. Os encontros e desencontros refletem, claramente, o estágio evolutivo que nos encontramos. Tem uma frese antiga que diz: “Diga-me com quem andas que te direi quem és”. Arrisco-me a acrescentar: “que te direi o que precisas”.

A nossa necessidade atrai o professor. Mesmo que não estejamos matriculados em uma escola formal, somos, gentilmente, conduzidos a encontrar o mestre pertinente para o que emanamos. Como será que o mestre sabe que precisa agir? Ele ouve, pois é mestre em ouvir pensamentos. Sendo assim, pensamos, sentimos, desejamos, e alguém se dirige ao nosso encontro. Observe se isso já não aconteceu com você?

Quando esse encontro acontece, a identificação é instantânea e estar junto fica muito prazeroso. Uma união perfeita entre necessidade, conhecimento e mudança. Eu, pessoalmente, adoro encontrar quem necessito. Quando eles vão embora, é sinal que o meu ciclo merecedor está realizado, então é hora de respirar, deixar partir e esperar o novo. Ele estará sendo arquitetado mesmo sem termos consciência. Lembre-se de que o pensamento já está buscando novos encontros. Portanto, aceite o movimento, de idas e vindas, somos resultado do nosso resultado. Desapegue-se e deixe que a vida flua. Abra espaço para o movimento dos ciclos. Hora de deixar para receber. Afinal, a mudança de ciclos é a resposta de que somos flexíveis, dinâmicos e muito inteligentes. Pergunto: – Você prende ou solta? Você agarra ou deixa ir? Você sufoca ou relaxa? Você permite que o ciclo seja seu mestre ou você se recusa a entender isso? Seja o que for, é sempre hora de partir para e chegar a. Boa sorte!

 

Post publicado no Portal Administradores pela Irlei Wiesel.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s