Perdoar é conquistar a liberdade

Tem gente que cresceu ouvindo de seus pais:

– Você não presta para nada!
– Você não tem jeito!
– Você só me dá desgosto!
– Quero que você morra!
– Você é uma praga!
– Por que você não some daqui?

O tempo passa, a vida muda, mas, lá no fundo, ainda existe uma ferida aberta, uma grande lacuna e muitas dúvidas sobre sua própria identidade. Matar o pai ou a mãe dentro de si, como se eles não existissem, definitivamente não resolve. Nutrir rancores adoece ainda mais a ferida. Em outras palavras, fazer de conta que nada aconteceu e tocar a vida para a frente, convencendo-se de que o tempo resolve tudo, é nada mais do que um analgésico para a alma. Mas, na verdade, o câncer continua ali, matando você lentamente, a cada segundo que passa…

Depois de adultos, muitos entram numa fase da auto-piedade, fazendo-se de coitados ou de vítimas. Um grande autoengano, pois cada indivíduo, mesmo tendo sofrido muitas injustiças, continua sendo o único autor de sua própria história. E, como há muitos capítulos por vir, o que fazer com as próximas páginas em branco da vida vale muito mais do que as que já passaram.

Você quer saber se eu tenho um conselho? Sim, eu tenho, mas sei que muitos vão se acovardar em colocá-lo na prática e vão optar por continuar fugindo. Você pode perguntar: “mas isso já passou, o que eu posso fazer?” Você pode fazer algo simples e poderoso. Algo que você vai querer acreditar que é em vão, mas só de pensar em executar você vai tremer dos pés à cabeça. Isso porque tem um poder extraordinário, ainda que você tente se convencer de que seja inútil. Mas, se é tão inútil, por que ter tanto medo?

Vá até seu pai ou sua mãe, pessoalmente (não vale telefone), sente-se à mesa, olhe nos olhos, e diga:

Pai, mãe ou ambos: “Eu vim aqui para fazer algo muito difícil para mim. Para fazer algo que há anos está preso dentro de mim, me machucando e corroendo minha paz. Eu vim aqui para falar de coisas do passado, mas não para cobrá-los de nada, para acusá-los de nada. Tenho certeza de que vocês fizeram o que estava ao alcance ou o que estava dentro de sua visão ou educação. Eu vim aqui para falar sobre as coisas que vocês me disseram, me fizeram, sobre o que aconteceu (especifique cada coisas calmamente e peça a eles que não falem nada e somente ouçam. Faça isso sem agressividade ou mágoa. Se chorar, continue). Como eu disse, eu não vim aqui para cobrar nada. Eu vim aqui para perdoar vocês. Eu vim aqui para dizer, olhando em seus olhos, que eu perdoo vocês. A partir de hoje, isso não tem mais valor para mim e, independentemente de vocês reconhecerem ou não suas falhas, eu perdoo vocês.”

Você não tem idéia do poder de sentar, olhar nos olhos, falar claramente “eu perdoo vocês”, do poder deles ouvirem isso, do poder do confronto, do poder do marco na vida das pessoas envolvidas, sem cobranças, sem acusações, sem orgulho, simplesmente por uma decisão prévia: perdoar.

Muitos, por escolherem considerar que a outra parte não merece essa atitude, por orgulho, ficam escravos do passado, presos na mágoa, no rancor, produzindo substâncias cancerígenas em seu organismo por falta de perdão e não saem do lugar. Tornam-se zumbis ambulantes, mortos vivos, a amargura em forma de ser humano. Tudo pelo medo – ainda que não admitam – de dar esse simples passo.

Perdoar é conquistar a liberdade. É um benefício maior para quem perdoa do que para quem é perdoado. A simples iniciativa de sentar, olhar nos olhos e falar abertamente e de forma audível “eu perdoo você” tem um poder impressionante de cura das feridas invisíveis que estão dentro de você. Em alguns casos, produzem efeitos extraordinários na outra parte. Mas não precisa esperar isso. Escreva sua história. Se para a outra parte não mudar nada, deixe que ela continue escrevendo a história do jeito dela. Mas a sua, a partir desse momento, será outra! Será livre para avançar sem nenhuma âncora que lhe prenda no passado. Ou seja, seja qual for a reação do outro lado, você não será mais o mesmo depois dessa conversa.

Reflita com carinho. Os desafios da vida já são grandes o suficiente para que você não aceite carregar nada do passado em suas costas. Perdoe o mais rápido possível e livre-se desse peso!

 

Post publicado no blog Geração de Valor pelo Flávio Augusto.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Sua meta é específica, mensurável, alcançável, relevante e temporal?

Para definir metas é importante primeiro você saber qual é o sentido que quer dar à sua vida, estabelecendo sua missão de vida. Com base na sua missão você consegue fazer escolhas que vão enriquecer sua jornada até alcançar suas metas. 

A fixação de metas é um processo importante para pensar sobre seu futuro ideal e motivar-se no sentido de transformar a sua visão de futuro em realidade. O processo de estabelecimento de metas ajuda você a chegar aonde quer chegar. As metas nos ajudam a ter clareza para vermos onde estamos indo, como poderemos chegar lá e o que faremos ao chegar lá. 

Para definir metas é fundamental sabermos o que queremos e se o que queremos está em consonância com a nossa missão de vida. 

Pense em todas as áreas de sua vida (família, lazer, trabalhos, estudos, espiritualidade etc.) e sobre o quanto está satisfeito com elas. Depois identifique o que gostaria de alcançar para ampliar seu grau de satisfação dentro de cada área. 

Outra opção é dividir suas metas em três grupos:

Grupo do TER – ter como objetivos adquirir bens não tem nada de errado.

Grupo do SER – uma das coisas mais empolgantes é trabalhar para se tornar algo.

Grupo do FAZER – realizar coisas é um fator muito motivador. 

Depois de levantar tantos objetivos está na hora de estabelecer prioridades. Procure pensar em quanto cada uma das metas vai levá-lo mais perto de sua missão de vida e o quanto vai se sentir mais satisfeito ao alcançá-las. Outro pensamento poderoso é – Qual dessas metas vai alavancar mais satisfação em minha vida? 

A partir de seus objetivos de vida surgem suas metas. A meta é um passo específico, concreto, mensurável, que vai servir como “medidor de quilometragem” rumo ao seu objetivo. 

Escolhendo as metas de maior impacto, você pode se preocupar em escrevê-las de forma clara e objetiva, pois isso o ajudará a desenvolver um plano de ação para alcançá-las. Para escrever suas metas pode ser interessante utilizar uma ferramenta para definição de metas chamada SMART: 

Sua meta deve ser:

S – Específica – Tem escopo delimitado.
M – Mensurável – É possível medir se foi alcançada ou não.
A – Alcançável – É possível de realizar.
R – Relevante – É relevante para sua vida, atrelada a sua missão de vida.
T – Temporal – Tem um período para ser realizada, tem prazo final definido.

Exemplos:

META DO TER: “Adquirir um escritório de até 70 metros quadrados onde possa ter duas salas e uma recepção, no valor máximo de R$ 600 mil acertando a compra em até 6 meses”.

META DO SER: “Ser uma pessoa mais caridosa, me candidatando como voluntária em instituição que apoie adolescentes em sua escolha de carreira, dedicando um dia da minha semana para esse fim e começando em até um mês.”

META DO FAZER: “Realizar um MBA Executivo em uma instituição de ensino de primeira linha, pleiteando reembolso de parte das despesas na empresa atual, finalizando o curso em até 3 anos.”

Atingir metas estabelecidas não é tarefa fácil, porém não estabelecer metas por medo de não atingi-las ou simplesmente por descaso é muito pior. Todos corremos o risco de nos decepcionar, mas a diferença é que quem se empenha na definição de suas metas tem grande chance de alcançar seus objetivos. 

Yara Leal de CarvalhoSócia e Coach da Questão de Coaching, Psicóloga com MBA Executivo em Negócios, Formação Internacional em Coaching pela Sociedade Latino Americana de Coaching, Practitioner em PNL e Analista de Assessment DISC.Ampla experiência em coaching executivo, de carreira seleção e desenvolvimento de pessoas. Facilitadora dos Grupos de Estudos sobre Geração Y,Tendências em Educação Corporativa e Planejamento de Carreira, da ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos).

 

Post publicado no Portal Administradores pela Yara Leal de Carvalho.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

O segredo do maior vendedor do mundo

Hoje pensei, porque não escrever sobre um vendedor, mas não um vendedor comum e sim o Maior Vendedor do Mundo. Ele foi eleito, em 1997, pelo Guiness Book ® – o famoso livro dos recordes, como O Maior Vendedor do Mundo, pela magnífica marca alcançada vendendo automóveis. Este homem vendia sozinho mais automóvel que a concessionária inteira junta; enquanto um vendedor comum leva em média 5 anos para vender 600 automóveis ele vendeu em um ano mais de 600 carros, só com indicações.

Este fenômeno em vendas chama-se Joe Girard, e quando perguntaram a ele qual seria o seu segredo, ele disse: – A venda não acaba quando o cliente compra, ela está apenas começando…

Joe, como gosta de ser chamado mantinha um forte relacionamento com seus clientes, após cada venda ele fazia um rápido registro de seus clientes com informações básicas e iniciava o seu pós-venda através do envio de correspondências simples, ex:

. Aniversário de seu cliente: “Caro John, feliz aniversário que você seja muito feliz! Um abraço Tio Joe”.

. Aniversário do filho do John: “Olá pequeno John Jr., parabéns e muitas felicidades, tenho certeza que quando crescer você será como seu pai, um homem de muito sucesso! Um abraço Tio Joe”.

. Dia de Natal: “Amigo John, desejo a você e toda sua família um ótimo Natal com muito amor e que Deus ilumine a todos! Tio Joe”.

. Dia das mães: ”Prezada Sra. Mary (mãe de John), parabéns a senhora nesta data tão especial, que Deus lhe saúde e muitos anos de vida para poder acompanhar de perto o sucesso de seus filhos e netos, atenciosamente Tio Joe”.

  Agora eu lhe pergunto: Quando o John for trocar o carro, ele irá procurar quem? Quando o filho dele for comprar o primeiro carro, após ter recebido cartas de feliz aniversário durante anos seguidos, ele irá procurar quem? Quando o pai dele for trocar de carro irá procurar quem? Quando um amigo de John comentar que está pensando em trocar de carro quem ele indicará? E quando a amiga da mãe de John comentar, que está precisando trocar aquele traste que tem em casa (estou falando do carro velho não do marido), quem ela indicará?

  Provavelmente você deve ter respondido Tio Joe às perguntas acima e notado o poder desse tipo de atitude, que gera uma reação em cadeia.

  Agora que você já conhece o segredo de Tio Joe, faça o mesmo com seus clientes e tenho certeza que daqui alguns anos estarei aqui escrevendo um artigo sobre você!

 

Post publicado no Portal Administradores pelo César Frazão.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Qual a melhor solução quando o caixa está baixo?

Além da pesada carga tributária brasileira, a falta de capital pode ser considerada uma das principais dificuldades das empresas. No entanto, quando o empreendedor deseja reverter a situação e ressurgir, “alternativas para enfrentar o problema é o que não faltam”, revela Batista Gigliotti, presidente da Fran Systems, estratégia e desenvolvimento de negócios.

Saber qual das alternativas são mais rentáveis e seguras para o negócio, porém, são detalhes que muitas vezes, na euforia do momento, o empreendedor se esquece de avaliar com a devida atenção.

Gigliotti, que possui mais de 30 anos de experiência no segmento, revela algumas dicas para o empreendedor se atentar antes de assinar ou adquirir qualquer recurso extra:

Refletir: antes de levantar capital externo, é vital que o empreendedor avalie porque a empresa está nesta delicada situação. Para evitar desperdícios, produtividade aquém do planejado, falta de controle do fluxo de caixa, entre diversos itens, muitas vezes, é necessário muito mais que capital financeiro;

Planejamento: saber para onde caminhar após o aporte financeiro é muito importante. Traçar metas alcançáveis e promissoras de acordo com a realidade do mercado (e da empresa), contar com um plano de negócios alinhado, além de auxilio externo de algum profissional pode render importantes conquistas a médio e longo prazo;

Financiamentos: ao contrário do senso comum, na grande maioria das vezes, recorrer à primeira instituição bancária que oferece auxílio pode sacramentar o fracasso da recuperação econômica da empresa. Como as taxas variam muito, é importante checar as melhores alternativas dos muitos tipos de investimentos no mercado;

Reinventar seu negócio: durante o processo de recuperação financeira, é estratégico para o empreendedor pensar em como reinventar sua empresa. Produtos e serviços novos, conceitos diferentes do mercado, serviço de pós-venda. Sempre há espaço para aperfeiçoar e melhorar o negócio.

 

Post publicado no Portal Administradores pela Redação.

Deixe o seu comentário aqui embaixo!