Com que óculos você enxerga o mundo?

Com que óculos você enxerga o mundo?

Imagine a seguinte situação: João está em reunião com seu chefe e, de repente, começa a ouvir um alarme de incêndio. João fica curioso para saber o que está acontecendo e não consegue mais prestar atenção ao que seu chefe fala calmamente. Pouco tempo depois, começa uma gritaria no corredor, o que aumenta a impaciência de João diante daquela situação. E para deixá-lo mais aflito ainda, o chefe não dá muita importância ao alarme e diz, sem consultar ninguém, que deve ser um treinamento de incêndio…. Assim, segue a reunião, até o momento em que João não aguenta mais seu desespero e pede licença para ver se é realmente um treinamento.

Quem nunca vivenciou ou viu uma cena semelhante, em que uma pessoa manteve a calma e a outra ficou muito nervosa – ambas diante do mesmo fato?  Você sabe qual é a grande diferença entre João e seu chefe? A forma como eles lidam com suas emoções. Sim, é isso mesmo. Não significa que o chefe seja “isso ou aquilo” ou que não esteja ouvindo o alarme. Provavelmente, ele é uma pessoa pouco emocional, isto é, as emoções têm pouca influência na maneira em que ele vê o mundo. Pessoas com personalidade como a deste chefe podem tanto manter calma em situações realmente tranquilas, como podem manter a calma em situações que, na verdade, podem ser preocupantes.

Quando falamos sobre emoções, nenhum dos extremos é bom. Quem se mantém inerte a uma situação pode, sem querer, negligenciar algo importante. Por outro lado, quem se desespera muito pode enxergar como mais grave algo que não necessariamente é.

Certa vez ouvi de uma psicóloga, colega de trabalho, uma frase muito interessante: “Emoções são os óculos que cada um usa para enxergar o mundo”. E ela tem absoluta razão. Se todas as pessoas conhecessem bem seus óculos seriam mais conscientes de suas reações frente a cada situação. E, com certeza, também teriam maior sensibilidade para entender a reação de seus colegas.

A boa notícia é que existem formas de conhecer melhor o impacto das emoções e de outros aspectos de nossa personalidade nos  relacionamentos e atitudes. Há algumas ferramentas interessantes no mercado para nos ajudar nesse sentido. A que eu mais gosto, particularmente, é o Facet5. Ela é a única que analisa o perfil de cada pessoa com base em cinco fatores: energia, determinação, controle, afetividade e emocionalidade – este último é exatamente os óculos de que estamos falando aqui.

Quem busca conhecer sua personalidade e, consequentemente, quais são suas características no trabalho, além de investir em autoconhecimento, aprende a respeitar o “funcionamento” das pessoas à sua volta. E os benefícios são realmente significativos. Saber mais sobre nós mesmos nos ajuda a lidar melhor com as situações, conosco e com os outros. E eu acredito que só bons frutos venham com esse aprendizado.

Post publicado no Exame.com pela Sofia Esteves.

Se gostou, deixe o seu comentário!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s